pteneofrdeites
Artigo do Jornal: Jornal Outubro 2015

Não dar lugar no ônibus ou no metrô a pessoas que possuam dificuldades: idosos, deficientes visuais e principalmente, não sentar nos lugares a eles reservados

Esta é uma outra situação que encontramos em nosso dia a dia e é tida como bastante banal. Eu mesmo já vi em trens e ônibus homens jovens e fortes sentados fingindo que dormem ou lendo jornal enquanto bem perto deles há uma pessoa idosa, uma mulher grávida ou com uma criança de colo a quem eles deveriam ceder o lugar e não o fazem.

Com o advento do Metrô passou a haver lugares marcados para pessoas idosas, mulheres grávidas ou com crianças e deficientes físicos. Mesmo assim, é muito comum vermos pessoas sentadas nesse lugar indevidamente, mesmo tendo perto delas pessoas que teriam direito ao lugar.

O leitor atento já deve ter percebido que a maioria dessas pequenas infrações que estamos examinando tem por causa o egoísmo. Neste caso especifico o egoísmo é bem marcante. E se reduz à frase seguinte: eu estou sentado e não me importo com quem não esteja, seja quem for.

O egoísmo é uma das chagas da alma que deve ser combatido com toda a energia se desejamos realmente progredir porque este sentimento inferior se opõe ao mais belo de todos os sentimentos humanos, o AMOR. E egoísmo por estar centrado no indivíduo e só nele, não é capaz de perceber a existência do outro e, muito menos, as suas necessidades.

O egoísta, em geral, não participa de campanhas de ajuda em calamidades como terremotos e enchentes; não é capaz de doar sangue; não visita orfanatos nem abrigos para velhos; nada sente ao ver crianças abandonadas nas ruas; em resumo: não se importa com coisa alguma a não ser aquelas que dizem respeito à sua comodidade.

Esta posição é muito perigosa. Vou lhes contar uma história exemplar neste caso. Na Alemanha de Hitler, havia um homem que morava em um bairro de Berlin. Um dia, a SS ou Policia Nazista esteve em sua rua e levou dali todos os moradores que eram judeus. O homem falou assim, de si para consigo: que é que eu tenho com isso? Não sou judeu. No dia seguinte, a SS voltou e levou todos os ciganos das vizinhanças. Novamente o homem pensou: ora, eu não sou cigano, que me importa que levem daqui esta gente. Passou uma semana e os nazistas voltaram e levaram todos os homossexuais daquela rua e o homem continuou com o mesmo pensamento. Um mês depois levaram os velhos sem que o homem se importasse. Até que um dia, a SS esteve naquela rua e o levou.

Este é o drama do egoísmo: se eu só penso em mim e não participo das dores dos meus próximos, quando chegar a minha dor eu também não posso esperar que se solidarizem comigo e, como no caso que acabamos de contar, a minha omissão pode um dia voltar-se contra a mim.

Compartilhar

Vídeos

Mala direta

Deixe seu nome e email e receba nossas mensagens gratuitamente em seu email.
Nome*
O nome é necessário!

E-mail*
Email inválido!

Login

Topo Cron Job Iniciado