pteneofrdeites
Artigo do Jornal: Jornal Dezembro 2013

Sobre o autor

Cláudio Sinoti

Cláudio Sinoti

Compartilhar -

     Narram as tradições da antiga Grécia que quando os peregrinos adentravam-se pelo templo de Delfos deparavam-se com vários ensinamentos, presentes nos pórticos do famoso oráculo dedicado a Apolo.

     Um deles trazia o seguinte ensinamento: Nada em excesso.

     E se por um passe de mágica um viajor grego do passado adentrasse pelos tempos modernos, veria que a humanidade, em muitos aspectos, não conseguiu aprender esse ensinamento profundo. São muitos os excessos da era moderna: excesso de informações, de consumo, de guerras, enfermidades etc. Ao mesmo tempo, constataria que, no outro extremo, vivemos enormes carências: carência de tolerância, respeito, solidariedade, amorosidade e de valores humanos para termos uma vivência coletiva mais harmônica.

     Certamente temos muitas conquistas, principalmente as da tecnologia e do conhecimento, assim como bons exemplos vindos de mulheres e homens que, conseguindo superar-se, deixaram rastros de luz em seus passos, para que a coletividade pudesse perceber que a vida tem um sentido superior. Mas porquê grande parte da humanidade permaneça em consciência de sono, o despertar para a vida e a conquista do equilíbrio prosseguem como desafio na era moderna.

     E como não há passes de mágica nessa jornada, o processo de conscientização, do encontro consigo mesmo e com o equilíbrio psíquico e espiritual, exige o esforço próprio do candidato.

     Nas primeiras fases da evolução humana, a dor e a necessidade, muitas vezes caminhando juntas, costumam ser o principal impulso à transformação. Desacostumados aos implementos da razão, e ainda vinculados aos atavismos do largo período instintivo, reagimos mais que agimos, e são as emoções a nos conduzirem, sem que as consigamos administrar positivamente. Mas como não estamos abandonados à própria sorte, a sabedoria da vida proporciona as lições necessárias para o despertar, que segue seu processo lento e gradual.

     Com o despertar da consciência, a capacidade de reflexão se amplia, possibilitando-nos antecipar as mudanças que se fazem necessárias, antes que nos conduzam ao sofrimento. Mas a sombra – aquilo que desconhecemos ou negamos em nós – prossegue dominadora por um largo período, consequência do egocentrismo exacerbado.

     E por haver desenvolvido mais a inteligência do que o sentimento, a razão muitas vezes torna-se fria, e volta-se contra o próprio ser humano, que pode ser comparado a uma criança que tem em mãos uma arma poderosa, e por pensar que se trata de um brinquedo, não tem consciência do seu poder destrutivo.

     Assim os nossos excessos voltam-se contra nós mesmos. A informação transforma-se em instrumento de poder; as redes sociais como ponto de vazão das nossas neuroses; a tecnologia em armas de guerra etc. O problema não está nos aparatos tecnológicos em si, mas na neurose humana, porquanto quem está afastado da própria alma – e essa é a concepção de Carl Gustav Jung sobre a neurose – utiliza-se destrutivamente de tudo que tem em mãos.

     Por isso torna-se urgente dar um sentido para nossas vidas, além do que o ego limita-se a perceber; desenvolver uma postura reflexiva perante a existência, para passarmos a agir antes de reagir; e aliado a todo esforço de transformação, exercitar as virtudes da alma, para poder despertar o divino que existe em nós.

     Certamente sempre existirão desafios, pois como nos recorda Joanna de Ângelis: “ todo o empreendimento que objetiva a transformação moral do indivíduo e da comunidade enfrenta dificuldades e lutas. No meio da batalha permanece confiante no teu esforço e no auxílio que receberás da divindade, se confiares. A tua é a missão de construir a Terra melhor e mais feliz, iniciando o labor em teu mundo íntimo e ampliando-o além das fronteiras que te limitam .”

     Equilibrando-nos, auxiliaremos o nosso planeta em seu movimento de equilíbrio, pois o planeta de regeneração, anunciado pela espiritualidade, necessita de criaturas comprometidas com a própria transformação.

Compartilhar
Topo Cron Job Iniciado