pteneofrdeites
Artigo do Jornal: Jornal Agosto 2015

Sobre o autor

Djalma Santos

Djalma Santos

Compartilhar -

No Velho Testamento da Bíblia Sagrada, no livro “Provérbios do Rei Salomão”, consta o seguinte trecho a respeito da felicidade, deixado pelo sábio rei: “A felicidade não é deste mundo. Mesmo que o homem terreno tivesse toda a fortuna, todo o poder, toda a saúde e toda a beleza, ainda assim não seria completamente feliz”.

Analisando com cuidado essa assertiva do rei, temos que dar razão a ele, porque a felicidade aqui na Terra é rápida e fugidia, demorando às vezes horas, dias ou meses, sem continuidade, senão vejamos: casa-se, e as pessoas sentem a maior felicidade do mundo, mas dura apenas até a primeira briga, o desquite, e finalmente o divórcio. Compra-se um carro zero, e a felicidade é imensa, mas termina com a primeira batida, o atraso da prestação, ou mesmo uma multa de trânsito. Família grande, todos com saúde e felicidade, até a perda de um dos membros através do fenômeno “morte”.

Existem detalhes a respeito da felicidade que escapam ao nosso controle, mas o mesmo rei Salomão diz em outro provérbio a fórmula certa para a felicidade: “Feliz é o homem de cujos atos a sua consciência não o acusa”. Deixa claro de uma forma cabal e completa que a nossa felicidade está agregada à consciência imortal – e se ela for plena, dinâmica, ética, leal e sincera, de alguma forma, já somos parcialmente felizes.

Em síntese, a felicidade é um hábito ao qual temos que nos adequar, fazendo do nosso dia a dia um hino de amor; não procurando a felicidade em nós, mas nos outros, porque o nosso semelhante é a matéria-prima com a qual temos que trabalhar, na busca da nossa felicidade, sendo certo afirmar que, dificilmente seremos felizes se não estivermos dispostos a fazer a felicidade dos outros. Buscamos a felicidade quando nos ligamos a tudo o que é verdadeiro, tudo o que é respeitável, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é virtude e que todas essas coisas possam ocupar os nossos pensamentos e sentimentos.

Ao se levantar pela manhã diga para você mesmo que vai escolher o sucesso, que escolherá as ações corretas, que terá boa vontade para com os outros, que vai escolher a paz, que vai escolher a liberdade, que vai escolher o amor pelos seus semelhantes, em síntese, que vai escolher a felicidade. Você deve alimentar a ideia da felicidade com fé coragem e determinação, porque o seu desejo é uma ordem que dá para si mesmo, e se tiver força vai se concretizar.

Jamais se alimente com os pensamentos negativos do medo, do ódio, da raiva, do ressentimento, do ciúme, do despeito, do rancor, da maldade, da perversidade, do autoritarismo e da prepotência, porque isso o tornará deprimido e infeliz, lembrando que sua vida é feita de pensamentos. A felicidade é e sempre será a colheita realizada por uma mente humilde, simples e tranquila, que consegue focar os pensamentos e sentimentos na paz, no equilíbrio, na segurança da orientação divina, produzindo assim, a tão almejada felicidade.

É muito importante observar que existe um poder incrível dentro de você, senão Jesus não teria dito: “O Reino de Deus está dentro de você”, numa alusão clara e insofismável, que já carregamos conosco o gérmen da felicidade, que certamente vai aflorar no momento exato, em que estivermos cumprindo com os nossos deveres e ordenações humanas, numa convivência pacífica com os nossos irmãos de luta, sem invadir fronteiras alheias, ou mesmo ocupar o espaço que pertence aos outros.

Quando conseguires plantar nos corações daqueles que te cercam, a alegria e a felicidade, a felicidade dos outros te buscará, aonde quer que você esteja, aqui ou no além, a fim de implantar em definitivo a tua suprema ventura; dando-nos uma ideia clara de que a caridade, a fraternidade, o compartilhamento e a solidariedade são atributos essenciais de que devemos nos ornamentar na busca da verdadeira felicidade que, muitas vezes, não pode ser evidenciada aqui no Planeta Terra, e sim depois que atravessarmos as águas enigmáticas do rio da morte.

Dizem os filósofos e pensadores que o maior inimigo do homem é o medo, porque em síntese ele está por trás do fracasso, das enfermidades e das relações humanas, deixando sua vítima apequenada, sem condições de ser feliz, de lutar pelo seu destino com fé, paciência, humildade e simplicidade; atrofiando as forças eletromagnéticas que circulam pelo corpo físico e pelo perispírito, o instrumento mediador entre a roupagem carnal e o espírito imortal, o verdadeiro detentor dos dois corpos: o físico e o espiritual.

É importante que possamos buscar a felicidade, através das coisas simples, descomplicadas e transparentes, que não exijam um esforço exagerado de nossa parte, e que essa nossa felicidade não possa prejudicar nossos semelhantes, a fim de que ela possa ser perene, duradoura e alegre, deixando todos que convivem conosco, embriagados pela magnitude coragem de ser feliz. Procure por todos os meios lícitos encontrar esse estado da alma que é a felicidade, compartilhando-a com todos, mas se, após muito tempo, seu desejo não puder ser realizado, seja feliz assim mesmo.

Compartilhar
Topo
Ainda não tem conta? Cadastre-se AGORA!

Entre na sua conta

Cron Job Iniciado