pteneofrdeites
Artigo do Jornal: Jornal Setembro 2016

Sobre o autor

Fátima Moura

Fátima Moura

Compartilhar -

       Um renomado Cientista, MD, teórico e autor de um livro de sucesso, faz uma revelação fantástica: ''A morte é apenas uma ilusão: nós continuamos a viver em um universo paralelo''.

 

       O autor dessas revelações é Robert Lanza, cientista que ficou famoso por suas pesquisas com células-tronco e clonagem de seres vivos, em especial como meio de preservação em favor de espécies ameaçadas de extinção.

 

       O médico afirma que, como a própria vida e a nossa consciência são as chaves para entender a verdadeira natureza do Universo, há muitas razões pelas quais não vamos morrer.

 

       Para ele, a morte não é o fim, como muitos de nós pensamos. Acreditamos que vamos morrer, porque é o que nos foi ensinado, mas, segundo ele, continuaremos a viver em um universo paralelo.

 

       Todas essas descobertas se encontram em um livro chamado Biocentrismo e, nele, o autor afirma que ”a vida e, mais ainda, a consciência – que se expressa por meio da vida –tem a primazia evolutiva e, com esta, estimula o desenvolvimento das manifestações físicas do Universo. 

       William Crookes físico e químico descobridor do elemento químico Tálio e da matéria radiante, fez pesquisas pioneiras sobre o assunto. Assim como as médiuns na Inglaterra vitoriana e que abriram caminho à Society for Psychical Resarch, fundada em 1882, o pesquisador deixou muitos legados. No ano de 1870, Crookes decidiu que a ciência tinha a obrigação de estudar os fenômenos associados com o espiritualismo e assim o fez até sua morte.

       Que bom que Doutrina Espírita e ciência se completam. Para nós espíritas, a morte significa a libertação da alma, que, após cumprir compromissos assumidos na espiritualidade, volta para casa. Aprendemos através da palavra educativa do mundo espiritual, que quando nosso corpo físico que nos foi emprestado pela misericórdia Divina não oferece mais condições de evoluir e de adquirir nenhum aprendizado que venha a contribuir para o nosso crescimento espiritual e moral, precisamos retornar à nossa verdadeira vida, a fim de continuarmos o nossa educação e nos prepararmos para uma nova etapa, a ser vivenciada através de uma nova encarnação.

       Segundo nos ensinam os espíritos, são as nossas ações aqui na terra que norteiam a nossa estada no plano espiritual e se essa estada se torna sofrida, trata-se de um sofrimento moral. É a alma que sofre, não o corpo, pois este transforma em matéria morta, entra em processo de decomposição e volta à terra, de onde surgiu, a fim de contribuir com o equilíbrio de toda uma existência.

 

       Situação bem diversa acontece com o espírito que durante uma vida enveredou por caminhos serenos, que viveu com amplitude, mas sem ambições exageradas; que praticou a caridade, que cumpriu os seus deveres familiares, profissionais e sociais, que procurou desenvolver virtudes, combatendo imperfeições, através da “reforma íntima”.

       Em nossa vida não existem “acasos! Nos ensinam os espíritos que tudo acontece através da Lei de Ação e reação; é a Lei circular, como diria o Mestre Léon Denis em seus escritos. Não existem injustiças, nem injustiçados. Não existem situações favoráveis ou desfavoráveis. Tudo se move e se completa a fim de permitir a todos nós realizar o melhor, até chegar o momento de voltar para casa.

       Eu não estou longe, apenas estou do outro lado do caminho, afirmou Santo Agostinho.

       Para nós espíritas, a morte não existe e amigos e afeiçoados nos esperam no “mundo dos espíritos” para nos abraçar ou encorajar em uma nova etapa.

       Jovem, façamos o bem, vivenciemos o bem enquanto o nosso espírito se prepara para a verdadeira vida, em um universo paralelo de novas descobertas!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Compartilhar
Topo Cron Job Iniciado