pteneofrdeites
Artigo do Jornal: Jornal Junho 2017

Sobre o autor

Fátima Moura

Fátima Moura

Compartilhar -

Por ficarem imensamente preocupados com os efeitos nocivos de um game chamado “Baleia Azul” que estava instigando jovens ao suicídio, através da internet e redes sociais, uma publicitária e seu amigo, um designer paulista, que preferem se manter no anonimato, decidiram criar uma página no Facebook chamada Desafios da Baleia Rosa, que se intitula um alerta ao bem.

A página Baleia Rosa, criada no último dia 13 de abril, já conta com mais de 80 mil curtidas, e é a prova de que o bem pode vencer o mal em qualquer circunstância, se também for direcionado a promover mudanças de comportamento, principalmente entre os jovens.

Segundo seus idealizadores, a internet também pode ajudar de forma positiva a vida das pessoas e esta corrente do bem e os desafios que a baleia rosa está propondo, pode ajudar a muitos jovens que sofrem de depressão ou patologias similares e que fazem através desses jogos suicidas um pedido de socorro, a redirecionar seus objetivos pessoais e a encontrar melhor qualidade de vida. Tal como no jogo anterior, os jogadores também tiram fotos e postam comentários para provar que cumpriram as missões.

Com o apoio de uma psicóloga, os administradores respondem aos casos mais sérios. Eles também enviam o número do Centro de Valorização da Vida (CVV) para quem está buscando ajuda.

Escrever com uma canetinha hidrocor na pele de alguém o quanto você a ama, usar as mãos para fazer carinho em alguém, realizar uma ação generosa, fazer alguém sorrir, falar inesperadamente que ama seus pais ou alguém da sua família, passar um dia inteiro sem usar palavras negativas, são alguns dos cinquenta desafios propostos pelos mentores da página e segundo eles, os resultados têm sido bastante positivos, dado o número de participantes que já aderiram ao novo desafio.

A proposta do jogo é, segundo seus idealizadores, ajudar a autoestima das pessoas e alertar crianças e jovens para que não entrem nesses tipos de desafios que podem comprometer seu bem-estar e integridade.

Fazer o bem faz bem, nos alertam os ensinamentos contidos na Doutrina Espírita. Ganha aquele que o recebe, mais ainda, aquele que o pratica, experimentando a alegria de servir.

Na parábola, “o Lázaro e o rico”, citada por Jesus, no Evangelho de Lucas, sabido é o tormento que experimentou o homem rico, coberto de púrpura, por não fazer a Lázaro o bem que estava ao seu alcance, deixando de lhe acalmar as dores, e observando-o em situação melhor que a sua, no reino espiritual.

Assim somos nós, aqui e agora e em todo o tempo de nossa caminhada na terra. Temos ao nosso alcance, sob variados aspectos, várias formas de fazer o bem, a fim de nos tornarmos melhores. Se assim o desejarmos, seremos agentes transformadores de uma sociedade enferma, que luta a cada dia para se manter firme contra as investidas das trevas.

Na pergunta 642, de O Livro dos Espíritos, assim está escrito: “Não basta que o homem não pratique o mal; cumpre-lhe fazer o bem no limite de suas forças, porquanto responderá por todo mal que haja resultado de não haver praticado o bem”.

Louvável o esforço desses jovens que se movimentaram ao combate do mal, plantando sementes do bem. Maravilhoso o trabalho de pessoas anônimas que honram a palavra caridade, quando se lançam na direção de seus semelhantes, tentando lhes minorar as dores.

Que também sejam nossas as palavras de nosso querido Chico Xavier, em nossa vida diária: “Que eu não perca a vontade de doar esse enorme amor que existe em meu coração, mesmo sabendo que em muitas vezes ele será submetido a provas e até rejeitado”. Fazer o bem faz bem. É isso que importa!

Para quem quiser acessar a página no Facebook, o endereço é: https://www.facebook.com/Baleia-Rosa-Oficial-695842373928905/

Compartilhar
Topo Cron Job Iniciado