pteneofrdeites
Artigo do Jornal: Jornal Maio 2018

Sobre o autor

Fátima Moura

Fátima Moura

Compartilhar -

“Semeemos, pois, o livro espírita e estaremos libertando desde agora o mundo de amanhã, com a madrugada da Era Nova de que o Espiritismo se faz mensageiro.”

Joanna de Ângelis (Florações Evangélicas, Editora LEAL)

       No dia 18 de abril se comemora o nascimento do escritor Monteiro Lobato, que foi, sem dúvida, um dos mais importantes escritores brasileiros do século XX, especialmente pelas obras infantis e personagens que marcaram a infância de várias gerações. É também o dia do Livro Infantil e, a partir de um projeto de lei da deputada federal Gorete Pereira (PL/CE), de número 291/2007, em homenagem ao lançamento d’O Livro dos Espíritos, de Alan Kardec, em 18 de abril de 1857, passou a ser comemorado como o dia do livro espírita. 

       Dando início a um novo momento de evolução espiritual da humanidade, num sábado de primavera, na Galeria d'Orleans, no Palais Royal, em Paris, aos 18 de abril de 1857, Allan Kardec publicava sua primeira obra: O Livro dos Espíritos.

       Aqui no Brasil, o livro demorou a ser conhecido. A população em grande parte analfabeta, descendentes de escravos e índios tinham pouco acesso à cultura. Poucos intelectuais tinham domínio do idioma francês e o culto espírita era proibido pela Igreja católica e pelas autoridades.

       Foi só quando o Doutor Bezerra de Menezes assumiu a presidência da FEB (Federação Espírita Brasileira), em agosto de 1895, que a Doutrina Espírita se propagou com mais veemência. Dois anos mais tarde, tendo Doutor Bezerra como responsável por essa transação, o Sr. Leymarie, colaborador de Kardec desde o início da publicação da Revue Spirite e das obras da codificação da Doutrina Espírita, concede a FEB o direito de publicar essas obras em Português, com a promessa da Editora em manter fidelidade aos originais franceses.

       O mineiro do século, o nosso querido Francisco Candido Xavier, “Chico Xavier”, no ano de 1931, iniciou o seu legado mediúnico com o livro: Parnaso de Além-Túmulo. Depois disso, até sua desencarnação, foram 412 obras que divulgam a mensagem de consolação até os dias atuais.

       Hoje, no mercado, temos variadas obras espíritas. A cada dia novos autores nos brindam com livros maravilhosos sobre a imortalidade e os porquês da vida.

       Eu mesma já publiquei ao longo do tempo, no trabalho de literatura que está sob nossa responsabilidade, 42 livros para crianças, jovens e adultos e quinze estão no prelo, aguardando o momento da publicação.

       Sábias são as palavras de um poema de Abel Silva através da psicografia de Chico Xavier, que nos diz: “O livro espírita é o farol... brilhando na tempestade, Divino clarão de um sol, nas sombras da humanidade. Livro espírita, alimento, a estender-se nobre e puro, redimindo o pensamento, em marcha para o futuro! Livro espírita, o conforto, às lutas da multidão, surgindo à feição de um porto, de paz e renovação!”

       Jovem, brindemos ao livro espírita, divino clarão de um sol, nas sombras da humanidade! 

**************

Compartilhar
Topo Cron Job Iniciado