pteneofrdeites
Artigo do Jornal: Jornal Setembro 2018

Sobre o autor

Marcus de Mario

Marcus de Mario

Compartilhar -

É muito fácil para quem teve o direito de nascer e viver, lutar pela legalização do aborto, pelo direito da mulher dispor do seu corpo com a interrupção da gravidez, não permitindo assim que seu filho nasça e viva, quando ele é outro ser humano, totalmente independente, como comprovam os estudos científicos sobre o DNA, mostrando que o feto possui características genéticas diferentes tanto do pai quanto da mãe, ou seja, é um ser humano em formação, merecedor de todo respeito e com os mesmos direitos de qualquer outro ser humano.

Com a única exceção da salvaguarda da vida da mãe quando a gestação é de alto risco, pois é preferível manter a vida de quem já está vivendo, que poderá no futuro ter nova gravidez, o Espiritismo se posiciona contrário à legalização do aborto por considerá-lo um crime contra a vida, que, na verdade, não pertence nem aos homens e nem às mulheres, e sim pertence a Deus, nosso Pai e Criador.

É preciso lembrar que o feto em gestação não é apenas corpo biológico em desenvolvimento, e sim um espírito se preparando para uma nova encarnação, individualidade pensante e de sentimentos, e que está no comando da gestação do corpo, dádiva divina para mais uma oportunidade de progresso. Impedir que a programação reencarnatória se cumpra é impedir que o espírito passe por provas necessárias ao seu adiantamento intelectual e moral, assim como impedir que cumpra sua parte nos desígnios divinos junto à humanidade.

A constituição brasileira consagra o direito à vida, e assim deve ser mantido, alinhando-se ao pensamento espírita, pensamento esse que será sempre a favor da vida.

É falso o argumento que a mulher tem direito sobre seu corpo, e, portanto, o aborto estaria incluído nesse direito. Não está, pelo fato de que trata-se de um outro corpo, de outra individualidade, de outro ser humano. E a mulher não é obrigada a engravidar, tanto que temos o planejamento familiar e as medidas contraceptivas. Então, se estamos vivos, pensando e atuando, agradeçamos nossos pais e a Deus, e lutemos pelo direito de nascer e viver para todos, como foi também esse o nosso direito.

Compartilhar
Topo Cron Job Iniciado