pteneofrdeites
Compartilhar -

O mês de abril tem entre outras tantas datas importantes, uma que jamais será esquecida por todo o movimento espírita do Brasil e do mundo que é o dia 02/10/1910, dia em que nasceu o mais completo médium de que se tem notícia: Francisco Cândido Xavier, ou simplesmente "Chico Xavier", que veio ao mundo na cidade de Pedro Leopoldo (MG), filho de João Cândido Xavier e Maria João de Deus.

Desde cedo, o menino Chico já se via às voltas com sua mediunidade, sem saber do que se tratava e a quem pedir orientação, pois, ele receava ser rotulado de louco se comentasse com alguém as conversas que mantinha com "almas do outro mundo", embora percebesse o que se passava à sua volva e à sua revelia, não sabia explicar como os fenômenos se davam.

Primeiro fato inexplicável

Conta o próprio Chico, que em 1922, no primeiro centenário da independência do Brasil, todos os alunos tiveram que apresentar uma dissertação sobre a data, e momentos antes de começar a dissertação Chico viu um homem ao seu lado ditando o que deveria escrever, assustado foi falar com a professora que o aconselhou a escrever o que ouvira, tranqüilizando-o: "Ninguém lhe disse nada. O que você ouviu veio de sua própria cabeça". Esse trabalho rendeu ao garoto Chico a sua primeira Menção Honrosa.

Início na mediunidade

Decidido que estava, Chico aprofunda seus conhecimentos pesquisando Allan Kardec e se dedicando cada vez mais ao desenvolvimento mediúnico, e no dia 7 de maio de 1927 participa de sua primeira reunião espírita.

Parceria com Emmanuel

Até o ano de 1931, Chico psicografou muitas poesias e mensagens, várias das quais foram publicadas, à revelia do médium, em jornais e revistas de todo o Brasil. Nesse mesmo ano, tem a oportunidade de ver pela primeira vez, o Espírito do nobre Benfeitor Emmanuel, seu inseparável mentor espiritual até o último dia de sua estada entre nós. O conhecido Benfeitor Emmanuel, ao se apresentar ao médium, falou-lhe do trabalho que a espiritualidade tinha pré-estabelecido para eles, e se o Chico aceitasse a missão que era de divulgar o espiritismo, ele precisaria seguir três requisitos fundamentais, sem os quais o trabalho não obteria lograr êxito.
Então lhe fez a seguinte pergunta: - "Está você realmente disposto a trabalhar na mediunidade com Jesus?"
- Sim, se os bons espíritos não me abandonarem... -respondeu o médium.
- Não será você desamparado - disse-lhe Emmanuel - mas para isso é preciso que você trabalhe, estude e se esforce no bem.
- E o senhor acha que eu estou em condições de aceitar o compromisso? - tornou o Chico.
- Perfeitamente, desde que você procure respeitar os três pontos básicos para o Serviço...
Porque o protetor se calasse, o rapaz perguntou: - Qual é o primeiro?
A resposta veio firme: - Disciplina.
- E o segundo? - Disciplina.
- E o terceiro? - Disciplina.
A segunda mais importante orientação de Emmanuel para o médium é assim relembrada por Chico:
- "Lembro-me de que num dos primeiros contatos comigo, ele me preveniu que pretendia trabalhar ao meu lado, por longo tempo, mas que eu deveria, acima de tudo, procurar os ensinamentos de Jesus e as lições de Allan Kardec e, disse mais, que, se um dia, ele, Emmanuel, algo me aconselhasse que não estivesse de acordo com as palavras de Jesus e de Kardec, que eu devia permanecer com Jesus e Kardec, procurando esquecê-lo."
Foi no ano de 1932 que a saiu publicado pela FEB o seu primeiro Livro, o até hoje famoso e discutido "Parnaso de Além-Túmulo"; daí em diante, não mais teve fim, enquanto o médium esteve entre nós, foi autor de 412 obras, várias delas traduzidas e publicadas em castelhano, esperanto, francês, inglês, japonês, grego, etc.
Portador de uma moral ilibada, de uma humildade impressionante, e de uma simplicidade incontestável, Chico Xavier jamais auferiu vantagens, de qualquer espécie, ou se apropriou de qualquer vantagem advinda da sua incomparável mediunidade.
Sua vida privada e pública tem sido objeto de toda especulação possível, na informação falada, escrita e televisionada, acusações e críticas ferinas, foram por ele suportadas com o exemplo do verdadeiro espírita.
As homenagens a Chico
Chico Xavier é hoje uma figura de projeção nacional e internacional, suas entrevistas despertam a atenção de milhares de pessoas, mesmo alheias ao Espiritismo; em todas as oportunidades em que esteve em programas de TV, respondendo a perguntas das mais diversas, pautou suas respostas pelos postulados espíritas, foi homenageado com o título de Cidadão Honorário de várias cidades: São José do Rio Preto, São Bernardo do Campo, Franca, Campinas, Santos, Catanduva, em São Paulo; Uberlândia, Araguari e Belo Horizonte, em Minas Gerais; Campos, no Estado do Rio de Janeiro, etc., etc.
O reconhecimento do povo brasileiro por seu trabalho, não ficou comprovado apenas pelos mais de cem títulos de cidadania que recebeu no Brasil. Foi eleito o "Mineiro do Século" superando até mesmo personagens de destaque na história do Brasil e do mundo, como Santos Dumont, o pai da aviação, a prova do reconhecimento popular pelo seu trabalho, foi a grande campanha realizada para que recebesse o prêmio Nobel da Paz em 1981, onde cerca de dez milhões de brasileiros endossaram a campanha, assinando manifestos e cartas.
O regresso ao mundo dos espíritos
Chico voltou à pátria espiritual, na noite de 30 de junho de 2002, da maneira que sempre dissera que gostaria de morrer, em dia de alegria para o povo brasileiro, e foi atendido em seu propósito, visto que exatamente nessa data o Brasil conquistava a Copa do Mundo de Futebol pela quinta vez, num domingo inesquecível, tinha 92 anos de idade, estava com vários problemas de saúde e teve uma parada cardíaca; Chico completaria 75 anos de atividade mediúnica em dia 8 de julho de 2002. No mundo espiritual Chico foi recebido com festa conforme mensagem de Joanna de Angelis ao médium Divaldo franco. De nossa parte só nos resta agradecê-lo por tudo que fez em benéfico de toda a humanidade, e dizer do fundo dos nossos corações saudosos.
Muito obrigado, amigo CHICO, por tudo.

Compartilhar
Topo Cron Job Iniciado