pteneofrdeites
Compartilhar -

Para o espírito encarnado ser bem sucedido, em sua trajetória evolutiva, há necessidade do organismo físico receber todos os cuidados essenciais de instrução, higiene e saúde.

O zelo com a boca deve ser enfatizado, desde que muitas doenças podem surgir devido às más condições de asseio. Deve-se praticar uma correta escovação dos dentes, pelo menos três vezes ao dia, e usar apropriadamente o fio dental diariamente. O creme dental, enriquecido com flúor, remove a chamada placa bacteriana, instalada na superfície dos dentes, causa de cáries e inflamações da gengiva. O fio dental atua entre os dentes retirando a placa bacteriana e age com a mesma propriedade na linha da gengiva. Importantíssima conduta é a consulta periódica ao dentista, que procederá, além do exame geral, a uma oportuna limpeza dos dentes, ação essencial para a profilaxia do tártaro, das cáries e das gengivites.

Muito oportuna é a recomendação de não utilizar chupetas e evitar as balas e doces em geral, no sentido de controlar o aparecimento das cáries. Em verdade, até mesmo antes do nascimento deve-se pensar na saúde bucal do ser em formação e desenvolvimento no cadinho materno. Um fator pré-natal deletério é a administração do antibiótico tetraciclina para a gestante (segunda metade da gravidez), responsável pelo aparecimento de manchas e descoloração dos dentes na criança. Ao mesmo tempo, mulheres que estão amamentando não podem tomar esse medicamento. A gestante deve tomar medicamentos vitamínicos, enriquecidos com flúor, para que o esmalte dentário seja fortalecido, mesmo antes de aparecer a primeira presa do bebê.

É importante evitar a cárie nos lactentes acima dos seis meses de idade, limpando os dentes – após a administração das mamadeiras e das amamentações – com um pano umedecido. Não deixar nunca o bebê dormir após a alimentação sem o asseio dos dentes. A administração de flúor em gotas ou em aplicação dentária para as crianças também é importante, principalmente se a água oferecida tem pouca quantidade do mineral. Na adolescência, geralmente é necessário o uso de aparelhos de correção nos dentes desalinhados, exigindo por esse motivo uma escovação mais constante.

Consumir na alimentação cada vez menos açúcares e amidos, encontrados nos refrigerantes e doces, contribuindo para a formação das placas bacterianas. Outro fator prejudicial à saúde bucal é o tabagismo, levando à formação de manchas nos dentes e gengivas, como também à produção do mau hálito, não podendo esquecer que o fumo, assim como o álcool, aumenta o risco do aparecimento de gengivites e câncer na boca.

Em relação aos tumores malignos da cavidade oral, é importante frisar que as condições ruins de higiene e as próteses inadequadas, que acarretam traumatismo constante, são fatores predisponentes. O câncer é suspeitado diante de feridas que não cicatrizam e sangram, adenomegalias no pescoço, língua endurecida, sem mobilidade, e dor que revela lesão já avançada. O acometimento maligno é mais comum em homens brancos e tabagistas (quase 90%), sendo a língua a mais afetada. A exposição intensa aos raios solares, sem a devida proteção, é fator predisponente do câncer de lábio inferior.

Importante uma boa higienização da boca, desde que nela se encontram numerosos microorganismos patogênicos. Em caso de manipulação da cavidade oral, com sangramentos, podem os germens invadir a circulação sanguínea e atingir o coração já acometido de lesões estruturais, principalmente valvulares, exibindo à ausculta sopros. A doença cardíaca resultante, de origem bucal, é a endocardite bacteriana. Importante comunicar ao profissional, antes dos procedimentos odontológicos, que é portador de afecção cardíaca, porquanto terá que ser medicado com antibioticoterapia profilática.

É necessário chamar a atenção para outro dado respeitável, em relação à higiene bucal. A língua, principalmente a sua parte posterior, deve ser limpa constantemente, porquanto é sede de proliferação de bactérias, causadoras do mau hálito, conhecido na medicina como halitose. Os microorganismos formam compostos sulfurados que causam o mal, cuja incidência na população adulta americana chega a ser de 50%. Na maioria das vezes, uma boa higienização bucal resolve o problema.

Os pacientes diabéticos apresentam com frequência doenças gengivais (gengivite e periodontite). Portanto, devem, além do tratamento clínico, fazer um exame completo (check-up) odontológico bianual. A mesma orientação deve ser oferecida aos obesos, que padecem igualmente de doenças periodontais, relacionadas à resistência insulínica e também à produção elevada de proteínas inflamatórias.

Algumas pesquisas relacionam a periodontite ao desenvolvimento de doenças cardiovasculares, pois que as proteínas inflamatórias e as bactérias presentes invadem a corrente sanguínea, causando efeitos deletérios, inclusive o espessamento da parede dos vasos, por aderência aos depósitos de gordura, proporcionando a possibilidade da eclosão de AVC (acidente vásculo-cerebral). O quadro é agravado com a presença do diabetes.

Portadores de gengivite têm muita probabilidade de contrair pneumonia, porquanto os germens que vivem na cavidade oral podem chegar aos pulmões e produzir doenças. As gestantes com gengivite têm maior propensão a partos prematuros e à geração de recém-nascidos de baixo peso. Muito essencial a assistência médica pré-natal.

Perda óssea nos maxilares (osteoporose) diminui a densidade do osso podendo causar dano aos dentes (doença periodontal). Consequentemente, mulheres na menopausa devem visitar o dentista regularmente, como também tratar a doença óssea e, se possível, controlar a síndrome hormonal.

A falta de fluxo salivar, causando a boca seca e produzida por alguns medicamentos, é com muita intensidade verificada nos idosos, os quais têm muita chance de sofrer de retração gengival, com exposição da área do dente não protegida naturalmente pelo esmalte dental. O indivíduo apresenta intensa sensibilidade, principalmente às bebidas quentes e frias. Essencial a consulta ao dentista já que o problema pode se agravar.

Conforme foi observado, a saúde bucal é parte integrante da saúde em geral. Como é fundamental ter uma boca asseada e bem cuidada, revelando sanidade dental, com hálito agradável, como igualmente um sorriso bonito.

Tratando bem do corpo físico, recebe o espírito reencarnado a oportunidade de abrir vários canais de oportunidade evolutiva, possibilitando a chance do crescimento espiritual, através da prática do amor a si próprio e ao semelhante como a si mesmo. Assim nos ensinou o magnânimo e excelso Jesus.

Quem cuida bem do corpo perecível está igualmente cuidando do espírito imortal, que necessita da arena física para o seu aprimoramento, debatendo-se com as provas e expiações inerentes ao seu aprendizado.

O indivíduo “que deixa a vida lhe levar”, sem maiores compromissos com a higiene bucal, poderá ser acometido de doenças graves e fatais, e desencarnar prematuramente. Em verdade, será recebido, na dimensão extrafísica, como um suicida indireto. Não tinha a deliberação consciente de cometer o autoextermínio propriamente dito; contudo, foi responsável, por ignorância, pelo desfecho sombrio.

À medida que a exortação do Espírito da Verdade for vivenciada, ressaltando a máxima: “amai-vos e instrui-vos”, o suicídio indireto não será mais evidenciado em nosso orbe. Daí a importância do intelecto estar de mãos dadas com a moral. Daí a importância de existir o jornal Correio Espírita para satisfação de seus leitores e alegria de seus colaboradores.

Compartilhar
Topo Cron Job Iniciado