pteneofrdeites
Compartilhar -
i212673O ensino espírita enfatiza que a encarnação humana é fundamental para a evolução do ser extrafísico, tornando-se uma necessidade premente: “A união do espírito e da matéria é necessária” (“O Livro dos Espíritos”, questão 25), “os espíritos têm que sofrer todas as vicissitudes da existência corporal” (Q. 132 de “OLE”) e “criados simples e ignorantes se instruem nas lutas e tribulações da vida corporal” (Q. 133 de “OLE”). Portanto, a caminhada evolutiva do espírito está subordinada à prática sexual, peça-chave na procriação dos seres humanos. A ciência vem exaustivamente alertar que o desempenho sexual é diretamente proporcional a um estilo de vida saudável, proporcionando ao espírito encarnado uma boa perspectiva de sucesso na sua trajetória no campo da sexualidade. Importante manter a autoestima, fugir do sedentarismo, não se alimentar de comidas hipercalóricas (doces, massas e alimentos com gordura saturada e trans), praticar exercícios aeróbicos e anaeróbicos rotineiramente, dormir bem, coibir desde a infância os fatores que desencadeiam a obesidade, o diabetes e a hipertensão. Essencial não fumar; ingerir bebidas alcoólicas com reserva, esforçar-se para evitar o estresse, sabendo que a ansiedade e a depressão são deveras prejudiciais à vida sexual. Fundamental ir periodicamente ao médico e se submeter aos exames clínicos e laboratoriais. A atividade física constante estimula a circulação do corpo inteiro, agindo igualmente nos órgãos sexuais, facilitando o afluxo sanguíneo nos corpos cavernosos do pênis e a lubrificação vaginal. O oposto se verifica com o tabagismo e a alimentação rica em gordura trans e saturadas; o primeiro, devido à ação perniciosa da nicotina, contraindo as artérias (efeito vasopressor), enquanto a segunda produz entupimento pela presença nefasta do mau colesterol. O dano circulatório, provocando disfunção erétil, é encontrado igualmente no diabete. O homem tem o dever de velar pela conservação do seu corpo. O arcabouço somático deve receber todos os cuidados necessários de higiene e saúde, não só para ser produtiva a reencarnação do ser espiritual, como também para que a função sexual seja a contento. A autoestima melhora, diminui o estresse pela liberação de neurotransmissores, analgesia e relaxa pela presença da endorfina. Um indivíduo que se cuida bem, pratica o sexo com melhor desempenho e por mais tempo, deixando o corpo mais saudável com a atividade sexual. Importante é que o sexo seja realizado com discernimento, responsabilidade e respeito. Exercido de forma desarmônica, é responsável por grandes quedas, atuando como artífice maior dos desajustes espirituais, ensejando resgates dolorosos nas futuras encarnações que estende a todos a oportunidade da redenção. O sublime fato encontrado no Evangelho envolvendo Jesus, a mulher adúltera e seus acusadores, nos proporciona a oportunidade de intensa reflexão, visto que o Cristo, diante da mulher em desregramento sexual, não a recrimina, muito pelo contrário, encoraja-a a trilhar novos e luminosos caminhos. “Aquele que estiver sem pecado que atire a primeira pedra”. Essa exortação do Mestre nos serve como paradigma quando estivermos diante de alguém em desvirtuamento na área da sexualidade, porquanto todos nós não estamos refratários a eventuais deslizes, nesta ou em próximas reencarnações. A energia sexual é uma força incomensurável que não pode ser liberada sem controle ou disciplina. Mesmo um deslize nesse setor nos dá oportunidade de regeneração no processo irreversível de reeducação da alma, principalmente nos casos em que o sexo envolve afetividade e se assume compromisso de muita responsabilidade com o semelhante. Desarmonias e desequilíbrios nesse campo energético trazem consequências danosas ao ser. Nossas deficiências advém de nós mesmos, nunca é obra do acaso e muito menos predeterminadas por uma divindade vingativa. Somos hoje o que construímos ontem: “A cada um segundo as suas obras’’. Muito importante é o amplo conhecimento da reencarnação e da Lei de Causa e Efeito (“a semeadura é livre, a colheita é obrigatória”). O homem, instruído nas leis divinas, envolver-se-á em ligação sexual alicerçada no amor, respeitando a outrem e sabendo que, além da reprodução das formas físicas, o relacionamento sexual tem a finalidade de unir energeticamente dois seres numa atividade intensamente salutar ao organismo e que traz grandes benefícios ao casal. O sexo, no passado, era encarado como sujo e imoral. Hodiernamente se apresenta de maneira vulgar, incrementado pela mídia, a qual se aproveita da forma banal com que é exibido para atrair maior audiência e acentuado rendimento financeiro. Em uma época de tantas transformações em todos os setores do conhecimento humano, chegamos ao culto do prazer. Nunca se falou de sexo com tanta intensidade e o assunto esteve tão em alta. Desde o aparecimento do primeiro anovulatório, conhecido popularmente por pílula, o hedonismo voltou a mostrar a sua face. Felizmente, em concomitância, foi iniciado um processo de superação dos flagelos das proibições, os quais foram responsáveis por um quadro de culpabilidade imensa, imposta por uma sociedade ignorante e violenta, vivenciando a sexofobia, o medo do sexo, erroneamente associado ao pecado e à obrigatoriedade da prática sexual para fins reprodutivos. Como controle de uma moléstia alarmante como a AIDS surgiram os coquetéis, em seu bojo os inibidores de proteases, impedindo a replicação do HIV no corpo. Com o descobrimento das pílulas pró-ereção, que chegaram ao mercado, em 1998, a primeira droga para o tratamento eficaz da disfunção erétil, a atividade sexual se expandiu, atingindo igualmente as pessoas de maior idade, aumentando a incidência da AIDS e de outras doenças sexualmente transmissíveis . O prolongamento da vida sexual de pessoas mais maduras não habituadas ao uso de preservativos e com novos relacionamentos não seguros está acarretando o recrudescimento de doenças como a sífilis e a gonorréia. Diante de momento tão trágico, importante que o sexo promíscuo seja evitado. Importante também um relacionamento único, alicerçado na fidelidade e na afetividade, garantindo uma longa e salutar vida sexual, evitando que o homem sofra tão intensamente na dimensão física quanto na espiritual. Que o Mestre Jesus abençoe a todos e ilumine o caminho que trilhamos como imortais viajores do Infinito e herdeiros da perfeição. * O autor é médico, Presidente da AME-RIO (Associação Médico-Espírita do Estado do Rio de Janeiro) e da ADE-RJ (Associação de Divulgadores do Espiritismo do Rio de Janeiro); escritor espírita com nove livros publicado pela Editora EME de Capivari-SP, são eles: “Cartas a um Sacerdote” (esgotado); “Por que Sou Espírita?” (esgotado) e “A Verdade mais Além”; pela Editora O Clarim de Matão-SP: “O Consolador entre Nós”, “Razão e Dogma” e “Atualidade Espírita” e, pela Editora CELD do Rio de Janeiro: “Sexualidade e Espiritismo”(esgotado) e “A Queda dos Véus”(esgotado) e “Sexualidade à Luz da Doutrina Espírita” (esgotado).
Compartilhar
Topo Cron Job Iniciado