pteneofrdeites
Artigo do Jornal: Jornal Junho 2014

Sobre o autor

Cláudio Conti

Cláudio Conti

Compartilhar -

Na questão 33 d'O Livro dos Espíritos encontramos a resposta de que "tudo está em tudo" para a pergunta formulada por Kardec com relação à mesma matéria a elementar ser suscetível de experimentar todas as modificações e de adquirir todas as propriedades.

De certa forma, o pensamento a que estamos acostumados de que as coisas possuem uma existência particular e que diferem entre si, faz com que a resposta dada pelos espíritos nos pareça estranha. Todavia, uma análise, mesmo que superficial, porém um pouco mais profunda do que o comum, pode nos levar a entender uma pouco melhor este ponto acerca da matéria com que lidamos no nosso dia a dia.

Imaginemos um namorado, noivo ou esposo que deseja presentear sua namorada, noiva ou esposa com algo especial, que cause uma forte impressão. Após muito pensar, ele decide presentear sua amada com uma linda pedra de carvão mineral. Creio que concordamos que não causaria grande impressão, para não dizer nenhuma.

Suponhamos, agora, que ele se decida por uma linda pedra de diamante. Neste caso podemos facilmente conceber que causaria uma comoção na sua amada devido à demonstração de amor.

Contudo, se analisarmos a composição química tanto do carvão quanto do diamante chegaremos à conclusão de que ambos são formados pelo mesmo elemento químico: o Carbono. Este mesmo elemento é responsável pela existência de todos os corpos orgânicos, seja vegetal ou animal.

A diferença básica entre o carvão e o diamante está na estrutura do cristal, isto é, na forma como os átomos estão organizados. No carvão a estrutura é laminar, enquanto no diamante é tetraédrica.

Outro exemplo interessante é a comparação da água comum com a água oxigenada. Ambas são constituídas por átomos de Hidrogênio e Oxigênio, porém a água oxigenada é composta por um átomo de Oxigênio a mais (água comum: H2O; água oxigenada: H2O2). Esta pequena diferença propicia propriedades completamente diferentes entre estes dois compostos, sendo que a mais marcante é o fato de que a água comum é essencial para a vida, enquanto que a água oxigenada pode causar a morte se ingerida na forma concentrada (água oxigenada vendida nas farmácias não é concentrada, mas diluída, por isso são utilizadas em machucados e, até mesmo, na boca).

Como é possível verificar, compostos comuns com diferentes propriedades podem ser constituídos de um mesmo elemento ou conjunto de elementos químicos, variando a proporção de cada um ou a forma como são organizados, exatamente como apresentado na resposta à questão 33.

Elementos químicos são os diferentes tipos de átomos. Dentre os elementos que ocorrem naturalmente no planeta e os que são sintetizados pelo homem, contam mais de 100. Estes elementos, quando agrupados segundo certas leis, constituem os diversos materiais que se observa no planeta. Estes agrupamentos formam as moléculas.

Analisando a constituição do átomo, verificamos que é constituído de três partículas: prótons, nêutrons e elétrons. O átomo de Hidrogênio é o único constituído por apenas um próton e um elétron, não possuindo nenhum nêutron, enquanto que, no outro extremo dos elementos naturais, encontra-se o Urânio, formado por 92 prótons, 146 nêutrons e 92 elétrons. Os diferentes elementos químicos são decorrentes da combinação em diferentes proporções destas partículas.

Sob este prisma, verificamos que tudo aquilo que percebemos como corpos materiais são formados, em sua estrutura mais básica, por três partículas apenas.

Seguindo a história do conhecimento, acreditava-se que os átomos eram a base da matéria, como os tijolos formam a estrutura da parede. A palavra "átomo", de origem grega, significa não divisível.

Todavia, atualmente este conceito já está mudado, já se sabe que os átomos não são a base da matéria, mas as partículas denominadas de "elementares". As partículas consideradas como verdadeiramente elementares somam um total de 48 e elas compõem tudo o que observamos e aquilo que não faz parte de nossa vida cotidiana, mas apenas para os cientistas em seus estudos visando desvelar o âmago da matéria. Isto sem considerar as denominadas "partículas virtuais" que são responsáveis pela interação entre as partículas.

Certamente ainda há um longo caminho a percorrer na busca da essência da matéria, inclusive que as partículas consideradas como verdadeiramente elementares hoje podem, como ocorreu no passado sobre conceitos semelhantes, ser reavaliados e consideradas como compostas, conduzindo a um novo grupo de partículas.

Todavia, muito já foi feito e, ao que a informação disponível indica, que o que chamamos de elementar ainda está longe de o ser, como apresentado na questão 34 d'O Livro dos Espíritos a uma pergunta de Kardec quanto à forma das moléculas, para a qual a resposta é: "Constante a das moléculas elementares primitivas; variável a das moléculas secundárias, que mais não são do que aglomerações das primeiras. Porque, o que chamais molécula longe ainda está da molécula elementar”.

Compartilhar
Topo Cron Job Iniciado