pteneofrdeites
Artigo do Jornal: Jornal Dezembro 2016
Compartilhar -

O evangelista Mateus, no capítulo 6, versículo 33, divulga o sublime ensinamento do Amoroso Jesus: “Buscai, acima de tudo, o Reino de Deus e a Sua Justiça e todas essas coisas ser-vos-ão acrescentadas”. Em outra oportunidade, o Mestre disse aos seus discípulos que o caminho a ser seguido exige a renúncia de si mesmo, alicerçado no esforço pela busca do desprendimento material e desapego das paixões. Ao mesmo tempo, tendo que passar pelas atribulações da vida, carregando a cruz, com desenvoltura e coragem. Depois, segui-lo, exemplificando os seus ensinamentos, com ênfase na prática do amor em ação (Mateus 16:24).

À medida que as potencialidades divinas são exteriorizadas, o Reino de Deus emerge em cada criatura. Jesus veio ao mundo para ensinar o caminhoneiro terreno a encontrar a Divindade Imanente dento de si. Essa conquista é observada, pela ótica da verdade que liberta nos Evangelhos, como a aquisição da denominada “salvação”. O Mestre, no chamado “Sermão Profético”, alude aos eleitos como aqueles que que o seguem na pessoa do próximo, não fazendo referência a nenhuma crença religiosa, nem mesmo ao seu sacrifício na cruz: “Então dirá o Rei aos que estiverem à sua direita: Vinde, benditos de meu Pai, possuí por herança o reino que vos está preparado desde a fundação do mundo; porque tive fome, e destes-me de comer; tive sede, e destes-me de beber; era estrangeiro, e hospedastes-me; estava nu, e vestistes-me; adoeci, e visitastes-me; estive na prisão, e foste me ver”.

Continua Jesus: “Então os justos lhe responderão, dizendo: Senhor, quando te vimos com fome, e te demos de comer? Ou com sede, e te demos de beber? E quando te vimos estrangeiro, e te hospedamos? Ou nu, e te vestimos? E quando te vimos enfermo, ou na prisão, e fomos ver-te? E, respondendo o Rei, lhes dirá: Em verdade vos digo que quando o fizestes a um destes meus pequeninos irmãos, a mim o fizestes” (Mateus 25:34-40).

O lema espírita “Fora da Caridade não há Salvação” é essencialmente cristão, correspondendo ao ensinamento sublime do Mestre em relação à conquista do “Reino dos Céus”, a qual, na Parábola do Bom Samaritano, é realizada pelo exercício do amor em ação, a despeito de qualquer credo religioso ou poder temporal (Lucas 10: 25-37).

Mais de uma vez, o Cristo utilizava narrativas breves, dotadas de um conteúdo alegórico, as parábolas, para ressaltar a importância da posse do “Reino de Deus”, comparando-a, por exemplo, à aquisição de uma pérola de grande valor, exigindo grande sacrifício de desfazimento das demais pérolas já conquistadas, precisamente o que ainda afasta o Espírito da obtenção desse valioso tesouro que é o Reino de Deus” (Mateus 13:45-46). No capítulo 13 de Mateus há seis parábolas que fazem referência direta ao “Reino dos Céus”.

 

BOX 1 - O Desabrochamento das Potencialidades Divinas

No Evangelho de Lucas, há a citação de alguém que sacrificou tudo para começar a encontrar o Reino de  Deus dentro de si: Zaqueu, o maioral dos publicanos. Ele resolveu dar aos pobres a metade dos seus bens e, em caso de ter fraudado alguém, restituiria quatro vezes mais”. Então, Jesus lhe disse: “Hoje, houve salvação nesta casa, pois que também este é filho de Abraão” (Lc 19:8-9).

O valoroso Paulo também se desfez de suas pérolas para a obtenção de uma mais valiosa, conforme testemunha, na Carta aos Filipenses: “Mas o que para mim era ganho reputei-o perda por Cristo. E, na verdade, tenho também por perda todas as coisas, pela excelência do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor; pelo qual sofri a perda de todas estas coisas, e as considero como escória, para que possa ganhar a Cristo” (3:7-8).

José Herculano Pires, erudito escritor espírita, definido pelo guia de Chico Xavier, Emmanuel, como “O Metro que melhor mediu Kardec”, em uma de suas obras, O Reino (Edicel), ensina o seguinte: “Ai, porém, do que pensar que o Reino já está nele e deixar de buscá-lo! O Reino é uma Graça e uma Conquista. Porque a Graça não é uma prebenda como as da Terra: Temos de merecê-la para recebê-la. E como receber a Graça sem a conquista das condições exigidas para a merecermos? Vivem na ilusão os que se esquecem daquelas palavras: Busca primeiro o Reino de Deus e a sua Justiça... Porque pensam que o Reino é dado a troco de palavras, de crenças, de sacramentos, de símbolos e sinais exteriores. E se enganam a si mesmos”. Com muita propriedade, Jesus enfatizou que o Reino de Deus está dentro de nós ou dentro de cada um (Lucas 17:21).

Muitos irmãos de caminhada terrena já estão bem adiantados no processo de desabrochamento das potencialidades do Espírito, dando grande salto na caminhada evolutiva, em direção ao Infinito. Alguns deles merecem ser apontados e devidamente divulgados, em seus excelsos atos, salvando os judeus do nazismo:

1 - Nicholas Winton, de nacionalidade britânica, nascido em Hampstead, em 19 de maio de 1909, e liberto do corpo físico em 1 de julho de 2015, foi responsável pelo salvamento de 669 crianças judias, muitas delas órfãs, pois os pais tinham sido executados em Auschwitz,  resgatando-as da antiga Checoslováquia (República Checa e Eslováquia desde 1 de janeiro de 1993) para a Inglaterra, por trem, antes delas serem deportadas para campos de concentração nazistas, antes do início da Segunda Guerra Mundial. Naquela ocasião, Hitler já tinha invadido Praga e a empreitada de Nicholas era extremamente arriscada. Atualmente, acredita-se que existam mais de 5.000 crianças que seriam descendentes das crianças que Winton livrou da morte.

Além do trabalho magnânimo que desempenhou na preservação de vidas, exercendo sobremaneira os ensinamentos edificantes do Mestre Jesus, a respeito da prática do amor em ação, o “anjo britânico” ainda foi mais além, exemplificando a grandiosa lição do Cristo inserida no Evangelho de Mateus 6:2-4: “Por essa razão, quando deres um donativo, não toques trombeta diante de ti, como fazem os hipócritas, nas sinagogas e nas ruas, para serem glorificados pelos homens. Com toda a certeza vos afirmo que eles já receberam o seu galardão. Tu, porém, quando deres uma esmola ou ajuda, não deixes tua mão esquerda saber o que faz a direita. Para que a tua obra de caridade fique em secreto: e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará” (Os grifos são nossos). Pois bem, Nicholas Winton, durante mais de 50 anos, manteve, em segredo, seu benemérito feito, somente vindo a público por meio de sua esposa, Grete, descobrindo no sótão de sua casa uma pasta, contendo a lista das crianças  e das famílias que as albergaram. O mundo, então, teve a oportunidade de tomar conhecimento da presença viva de um herói. Veio à tona o majestoso trabalho do benévolo inglês, paladino do amor.

Em 1988, Winton foi convidado para assistir pessoalmente, na plateia, o programa de televisão da BBC, That's Life!, o qual, para sua surpresa, foi dedicado a ele, sendo relatada sua humanitária obra. Momento de grande emoção para o ilustre homem, para todos os participantes e para os telespectadores, aconteceu, quando a apresentadora da festa perguntou aos presentes, no auditório, se havia alguém que devia sua vida a Winton, e, em caso afirmativo, ficasse em pé. Todos se levantaram e, chorando, aplaudiram o seu salvador. Winton, extremamente emocionado, também se debulhou em lágrimas;

2 - Outro ser que deu um grande passo para encontrar o caminho que conduz ao Reino de Deus reencarnou na Alemanha, em 28 de abril de 1908, e desencarnou em 9 de outubro de 1974. Oskar Schindler foi um industrial alemão, espião e membro do Partido Nazista, tendo salvo da morte 1200 judeus durante o Holocausto, empregando-os nas suas fábricas. Seu grandioso feito foi revelado no filme Schindler's List;

3 - Exemplificando o amor em ação, outra pessoa maravilhosa teve a iniciativa de socorrer os judeus do nazismo, tendo a bendita chance de amparar mais de 10.000 crianças que morreriam nos campos de concentração de Hitler. A heroína holandesa, nascida em 21 de abril de 1896 e falecida em 30 de agosto de 1978, foi Geertruida (Truus) Wijsmuller-Meijer. Além do resgate de milhares de crianças judias, Truus se dedicava a obter e distribuir alimentos, como, igualmente, depois da guerra, se dedicou a criar locais de trabalho para deficientes. Realmente, está bem próxima de encontrar o Reino de Deus dentro de si;

4 - A brasileira Aracy Moebius de Carvalho Guimarães Rosa era chefe do setor de passaportes do consulado brasileiro em Hamburgo, na Alemanha, e, arriscando-se, conseguiu livrar do jugo nazista cerca de 100 judeus. Importante que não comentava seus abençoados feitos. Ficou conhecida como “Anjo de Hamburgo” e homenageada nos museus do Holocausto de Jerusalém e de Washington. Foi laureada com alta honraria (“Justa entre as Nações”), concedida pelo Governo de Israel. Inclusive, um bosque, no país, recebeu o seu nome.

Sem temer ser descoberta, foi responsável pela concessão de dezenas de vistos de judeus, contrariando ordens superiores, burlando as ordens do Itamaraty, porquanto o antissemitismo que vigorava, na época, nos bastidores do governo de Vargas, restringia a entrada deles no país.

Desencarnou em 2011, aos 102 anos de idade, tendo sido a segunda companheira do diplomata e conceituado escritor Guimarães Rosa, o qual é autor da conhecida obra Grande Sertão: Veredas (1956), livro dos mais importantes da moderna literatura brasileira, com mais de 600 páginas, elaborado com ausência de capítulos e dedicado à esposa, com os seguintes dizeres: “A Aracy, minha mulher, Ara, pertence este livro”.

 

BOX 2 - A Conquista da “Coroa da Vida”

Que o Mestre Jesus abençoe muito e cada vez mais esses irmãos citados, os quais exemplificaram seus sublimes ensinamentos estampados nos Evangelhos. Certamente, na Pátria Espiritual, estão recebendo suas recompensas pelo bem que espargiram. Paulo, em 1 Coríntios 3:14, assim, corroborando, diz: “Aquele que trabalha na obra de Cristo, caso o seu trabalho permaneça, receberá o seu galardão” (1 Coríntios 3.8‑14). Segundo Jesus, o prêmio a ser concedido depende das obras empreendidas (Apocalipse 22:12).

Nicholas Winton, Oskar Schindler, Geertruida (Truus) Wijsmuller-Meijer e Aracy Moebius de Carvalho Guimarães Rosa foram homenageados já em vida física. Porém, estão sendo agraciados, em maior amplitude, na dimensão imortal, com a melhor honraria concedida a alguém que começa a encontrar o Reino de Deus dentro de si: “A coroa da vida” – para todos aqueles que amam a Deus, sentimento demostrado por todos os que guardam os Seus ensinamentos ministrados pelo excelso e amado Jesus (Tiago 1:12 e 1 João 5:3): “Recompensou-me o Senhor conforme a minha justiça, retribuiu-me conforme a pureza das minhas mãos. Porque guardei os caminhos do Senhor, e não me apartei impiamente do meu Deus” (Salmos 18:20-21).

“Em verdade, vos digo: todas as vezes que fizestes isso a um destes mais pequeninos, que são meus irmãos, foi a mim que o fizestes! ” (Jesus, em Mateus 25:40).

Compartilhar
Topo Cron Job Iniciado