pteneofrdeites
Artigo do Jornal: Jornal Novembro 2017

Sobre o autor

Djalma Santos

Djalma Santos

Compartilhar -

O espírito imortal, esse viajor da eternidade, esse andarilho do infinito, esse nômade do espaço, é composto de três elementos: Mente ou espírito, Perispírito e Corpo Físico. O espírito é o dono da casa, é a energia maior que comanda as outras energias. O Perispírito é o corpo intermediário, ligado diretamente ao corpo físico, mas também ligado de forma direta ao espírito, e na realidade, é ele que recebe as ordens do espírito e as transmite para o corpo físico, formado por trilhões e trilhões de células, que dão sustentação ao corpo de carne.

       O cosmo celular do corpo físico é mantido em movimento por uma quarta energia, que Kardec chamou de Princípio Vital, também conhecido pelos cientistas como Bioenergia, uma espécie de determinismo divino, atuante no corpo somático, e só se desprende quando ocorre o fenômeno “morte”. A morte é a extinção do princípio vital que anima o corpo físico, e esse princípio está inteirado energeticamente de uma forma mais forte em alguns órgãos do corpo físico, como o cérebro, o coração, as artérias etc.; e qualquer ruptura ou desajustes desses órgãos, ocorre a morte física do ser humano.

       Durante muito tempo, o coração foi tido com o órgão mais importante do corpo, mas hoje sabemos que depois da mente que é imortal, o cérebro é, por excelência, o responsável por tudo que ocorre no cosmo físico, e é exatamente por isso que os assassinos miram sempre o cérebro quando querem vitimar pessoas. A física quântica moderna dos dias de hoje admite que tudo no Universo em que vivemos é energia, uma condensação de energia transformada em matéria, e significa que tudo é movimento e que tudo que existe tem uma vibração própria: objetos, seres e ambientes, tanto na dimensão física como na extrafísica.

       As estruturas ou campos eletromagnéticos físicos, ou espirituais, são energias em diferentes estados de condensação ou rarefação, em constantes movimentos de atividade, gerando sempre novas formas de energia com inúmeras e diversas consequências. Cada tipo de energia tem uma vibração, com uma frequência e comprimento de onda eletromagnética específica, assim como tem um brilho ou luminosidade peculiar. A alimentação que haurimos no nosso dia a dia se transforma em energia, mantendo o corpo físico em movimento, e a cessação desse movimento constante das células é a morte.

       A principal missão do ser humano aqui na Terra é manter esse corpo físico intacto até a hora da morte, não permitindo que ele seja adulterado, macerado ou vitimado por acidentes que podem ser evitados, e principalmente pelo suicídio, que é um pecado contra Deus e contra si mesmo. Mantendo uma vida pacata, de paz e convivência amorosa com os semelhantes, chegaremos à hora da morte serenos e prontos para atravessar as águas enigmáticas do rio da morte, fechando os olhos materiais aqui, e abrindo os olhos espirituais do outro lado da vida, visualizando um mundo novo, mais dinâmico, mais etéreo, e com maior possibilidade de sermos felizes, principalmente quando cumprimos com os nossos deveres e ordenações humanas.

       O princípio vital constitui um corpo etéreo, um invólucro energético, luminoso, vaporoso e provisório, que coexiste enquanto estamos vivos, porque depois da morte ele se evapora e volta à natureza de onde foi retirado. Ligado aos Centros de Forças do Perispírito, o princípio vital é o responsável pelas enfermidades, como também pela cura, e é passível de reposição através de intervenções físicas e espirituais; sendo que na parte física temos como reposição o oxigênio, o hidrogênio, o soro etc., e na parte espiritual pode ser reposto pelo passe, pela água fluidificada, pela prece, silêncio, recolhimento e Culto no Lar.

       O suicídio é sem dúvida nenhuma a forma mais grave e intensa da evasão do princípio vital, porque é o homem que se volta contra si próprio, numa rebelião contra Deus e contra a vida, na presunção errônea de que os problemas acabam com a morte, e descobre do outro lado da vida que os problemas aumentaram, e que a vida continua plena, estuante e dinâmica, cobrando a responsabilidade de cada um pelos atos cometidos. A surpresa em descobrir que não morreu aumenta o sofrimento do suicida, que dementado, vaga por vielas, estradas sombrias e escuridão, procurando um lenitivo para suas dores, e só encontra lamentos da parentela familiar que ficou, e escárnio por parte de espíritos inferiores que o aguardam no além da vida.

       Durante a vida física ocorre um desgaste natural do princípio vital, desde o nascimento até a velhice, quando essa energia perde quase toda a sua força, sem no entanto afetar a vida do idoso, que pode perfeitamente viver com menos energia, dosando as experiências no campo físico, e aumentando as experiências no campo espiritual, suprindo assim o quanto que falta na parte física. O importante para o idoso, que está depauperado do princípio vital, é manter atividades normais, mas com pouca intensidade, como por exemplo: se quando na maturidade corria 3 quilômetros, agora só pode correr 500 metros; o mesmo na alimentação e outras atividades diárias.

       A morte ocorre quando o princípio vital se esvai ou se torna enfraquecido, sem condições de movimentar as células; e sem a animação desse princípio, o espírito é obrigado a abandonar o corpo físico, retirando também o períspirito, que fazia a intermediação entre corpo físico e espírito imortal. Nos vegetais o princípio vital está inteirado na raiz, e isso explica porque cortando uma árvore nem sempre a matamos, mas se arrancarmos pela raiz, ela certamente morrerá. Nos animais o princípio vital é exatamente igual aos humanos, não havendo diferença nenhuma, nem mesmo no fenômeno morte, a não ser na parte espiritual, tendo em vista a diferença entre a energia que anima o homem e a energia que anima o animal.

       Depois da relação sexual, o espermatozoide encontra o óvulo feminino e o fecunda, e a partir daí, o principio vital, que já se encontrava no espermatozoide e no óvulo, envolve por completo o possível nascituro, juntamente com o períspirito, que se enraíza ao óvulo fecundado e passa a comandar o crescimento do feto, como modelador e organizador biológico do corpo físico, até o nascimento que ocorre após nove meses quando é natural, ou através de intervenções cirúrgicas chamadas de cesarianas, causando um certo prejuízo na energia vital, reconhecida até pelos próprios médicos, mas às vezes necessárias devido à incapacidade de se realizar um parto normal.

       Para manutenção do princípio vital em perfeito movimento, necessitamos da respiração realizada através das narinas e da boca; da alimentação saudável composta de vitaminas e cálcios na área física; e na área mental, temos os passes magnéticos; a água fluidificada, uma música suave e clássica, uma leitura edificante e espiritual, o silêncio, o recolhimento e o Culto no Lar.

Compartilhar
Topo Cron Job Iniciado