pteneofrdeites
Artigo do Jornal: Jornal Janeiro 2018

Sobre o autor

Jacob Melo

Jacob Melo

Compartilhar -

Oba! Que momentos lindos os que se aproximam. Estaremos quase todos magnetizados pelas festividades de final de ano e começo de um novo. E que magnetismo abençoado esse, pois vem revestido de sorrisos, abraços, mensagens, lembranças, lembrancinhas e até presentes! Sem falar nas festinhas de confraternização, nos jantares com a família, nos almoços com os amigos, nas visitas – inesperadas ou programadas – assim como nas surpresas de última hora... É quando se pode dizer que o magnetismo está no ar!

Junte-se a tudo isso as palestras, missas, cultos, oferendas, embalados por orações e vibrações, clamores por paz e pedidos de harmonia e compreensão para todos e entre todos. Meu Deus! Em meio a tudo isso, certamente muitos milagres ocorrerão, muitas dores se dissiparão, milhares de vitórias se consumarão, enfim, a bonança se apoderará do tempo e do espaço e as enfermidades terão seus decessos, pois esses grandes momentos serão definitivamente favoráveis para que elas sejam vencidas.

Lamentavelmente, entretanto, nem tudo ocorrerá como seria de se esperar. Não que o momento magnético não venha a existir; existirá sim e será sentido e bem acolhido por uma larga maioria de pessoas ao redor do mundo, especialmente junto àqueles que acreditam nas tradições cristãs. Mas será de repercussão rápida e passageira, como a nos dizer que é preciso algo mais, atender a algum esforço que reclama por continuidade.

Não daria para sermos, repentinamente, magnetizadores tecnicamente mais habilitados, pois um desejo de ser nem sempre é capaz de promover crescimento intelectual instantâneo, mas se aproveitarmos o clima magnético das energias vitais que evolam dessas comemorações festivas, certamente poderíamos realizar ações ainda mais felizes, bastando para isso entrarmos mais fortalecidos, emocional e moralmente, para o desempenho de nossos atos magnéticos.

E se quisermos ainda mais eficiência nisso tudo, que tal convidarmos nossos assistidos/pacientes para igualmente entrarem nesse clima natalino, deixando com que as suas emoções mais nobres se elevem e se enriqueçam com as vibrações sutis percebidas quando partimos na busca dos Seres mais elevados, aqueles que nos apoiam e nos acompanham! Aplicarmos nosso magnetismo, envolvidos, aplicador e receptor, em orações plenas de fé e confiantes, com o sentido de entrega às forças do Bem de um modo muito íntegro, não faria com que tudo fosse muito mais “milagroso”?

O Magnetismo nunca se ausentou da oração, do sentido de relação com o Mundo Superior, ainda mesmo quando, no século 19, ele surgiu, pois se à época não se tratava de postura religiosa, aos pacientes eram recomendadas mentalizações sobrem imagens tranquilas e nobres, que despertassem bons sentimentos morais. Hoje também assim o fazemos, só que pronunciando orações bem sentidas e ricas em valor moral, espiritual, de vida plena.

Se você é magnetizador aproveite o clima dessas festividades e reforce todo o seu potencial, pois o clima é definitivamente favorável. Assim como foi dito a Allan Kardec que se o magnetizador acreditar nos Espíritos fará milagres, se já acreditamos neles então o que falta é essa conexão mais profunda, mais sincera e mais consentida. Doemo-nos mais integralmente; não nos limitemos a dar Magnetismo; doemo-nos! Não são apenas os pacientes que chegam a nós que precisam de nossa ação; são muitos, muitos mais, inclusive aqueles que, por desconhecerem, ainda não entendem como se consegue tanto com tal Ciência, que abre mão de posologias, mas que insiste em que para se trabalhar campos fluídicos (energéticos) é imprescindível amor e sabedoria – e estes só se adquire vivendo e estudando, aplicando e se doando com toda alma.

O mundo convencional trata o Natal e o Ano Novo de uma maneira quase comercial. Nós deveremos tratá-los de uma maneira religiosa, santa, favorecendo para que os verdadeiros milagres ocorram.

Feliz Natal magnético, Feliz Ano Novo magnético para você!

Compartilhar
Topo Cron Job Iniciado