pteneofrdeites
Artigo do Jornal: Jornal Maio 2014

Sobre o autor

Pedro Valiati

Pedro Valiati

Compartilhar -

Para iniciarmos o nosso estudo, segue abaixo profunda lição do Mestre:

Naquela mesma hora chegaram os discípulos ao pé de Jesus, dizendo: Quem é o maior no reino dos céus?
E Jesus, chamando um menino, o pôs no meio deles,
E disse: Em verdade vos digo que, se não vos converterdes e não vos fizerdes como meninos, de modo algum entrareis no reino dos céus.
Portanto, aquele que se tornar humilde como este menino, esse é o maior no reino dos céus.
E qualquer que receber em meu nome um menino, tal como este, a mim me recebe.
Mas, qualquer que escandalizar um destes pequeninos, que creem em mim, melhor lhe fora que se lhe pendurasse ao pescoço uma mó de azenha, e se submergisse na profundeza do mar. Mateus 18:1-6

A criança, frágil e indefesa, tratava-se de Inácio de Antioquia, que posteriormente se transformaria em Bispo. Estava claro que o Cristo reconhecera, naquele menino, o espírito nobre, o qual, após 4 anos dos acontecimentos da cruz, fora criado e educado no cristianismo por Maria de Nazaré e João. Mais tarde, enviado à África como apóstolo do Cristo e, foi capturado e levado aos ferros para Roma.

       Chegando à cidade, contemplando-lhe a beleza, sorri, no que é imediatamente esbofeteado pelo soldado romano:

- Por que estas rindo, ó desgraçado? Não sabes que, a tarde, morrerás diante das feras?

- Eu estou sorrindo, pois se a vós que sois corruptos e hipócritas, Deus vos reserva esta bela cidade, o que não estará reservado a nós, que o amamos. Tenho pressa que se consuma a entrega de meu corpo aos leões.

       Contudo, ao meio dos animais, em verdadeiro espetáculo de carnificina, Inácio de Antioquia é simplesmente ignorado pelos felinos esfaimados. Para a surpresa de todos, incluindo Inácio, tomado de profunda tristeza, pois considerava-se indigno da morte, aparece-lhe um anjo do senhor a dizer-lhe:

- Inácio, morrer é muito fácil. Ao toque da pata do animal o corpo esfacela-se. Viver é difícil. Regozija-te, o Senhor tem planos para ti.

Ah, a missão de cada um! Os mártires do passado enfrentaram as arenas repletas da hediondez dos homens, os soldados impiedosos e as feras vorazes, provocando o imediato desligamento do corpo físico.

Já, para os mártires do presente o desafio é outro. É conviver, em profunda misericórdia com feras da ignorância humana; é manter a paz e cultivar o perdão diante dos tormentos do crime e violência; é tratar com amor o delinquente, trabalhar os sentimentos, educando os que nos causam os embaraços e dificuldades.

Muitos, ignorando as inconsequências de outrora, vivem sob o peso da decepção causada pelo próximo ou ente querido. Não compreendendo a repercussão da lei de causa e efeito, as correntes infelizes as quais carregamos ressurgem ao presente, como os antigos fantasmas do pretérito, caracterizados pelos antagonismos cultivados em outras vidas.

Estes irmãos, a massacrar muitas vezes, a nos fazer morrer aos poucos diariamente diante do testemunho fiel aos ensinamentos cristão, quando estamos verdadeiramente dispostos a tal, não podem ter os atos classificados na esfera da decepção, pois são cobradores da justiça divina, lá estão para exercer a cobrança necessária às nossas almas, os dividendos cobrados, os quais certamente irão responder, pois um mal não justifica o outro, são perfeitamente compreensíveis, tendo em vista o antagonismo de sintonias mental, resultante da convivência do passado desditoso. Portanto, não se trata de decepção, e sim, comportamento perfeitamente previsível, apesar de infeliz, pelas divergências morais.

Eis parte considerável da missão que nos compete, compreender que a decepção não existe diante daqueles os quais devemos auxiliar a erigir um novo ser, a frente da criatura depositada aos nossos cuidados e convívios, de forma a eclipsar os erros do passado, através da educação e abnegação, características profundas do amor.

Não nos consideremos atados aos ferros, tal Inácio de Antioquia às portas de Roma, antes disso, vejamo-nos aos braços do Cristo, como crianças indefesas, porém sob absoluta proteção.

 

OBS: Aos que se interessarem pelo estudo e desejarem aprofundar na vida de Inácio de Antioquia, seguem algumas referências abaixo:

 

Bibliografia:

01. Divaldo Pereira Franco - Palestra pública Quem é este Homem.

02. Livro Trigo de Deus – Divaldo Franco, pelo espírito Amélia Rodrigues.

03. Link: http://www.feparana.com.br/biografia.php?cod_biog=127

Compartilhar
Topo Cron Job Iniciado