pteneofrdeites
Artigo do Jornal: Jornal Setembro 2014
Compartilhar -

É comum ouvirmos algumas correntes cristãs afirmarem que Jesus não ensinou, nem falou em REENCARNAÇÃO. No entanto, esta afirmativa não está correta. Jesus falou sim, e ensinou reencarnação em muitas ocasiões em que esteve conversando e ensinando aos seus discípulos. É lógico que Jesus não citava a palavra, especificamente, pois, “REENCARNAÇÃO”, foi um termo criado por Alan Kardec em 1857, com o lançamento do livro dos Espíritos.

No tempo de Jesus e ainda hoje entre os judeus, o termo é conhecido como “Guilgul Neshamot”, e significa no hebraico, “Rodas das almas”.

Nos Evangelhos, encontram-se citações bem marcantes sobre Reencarnação em diversos momentos de convivência entre Jesus e os discípulos.

Iniciamos com a citação do Velho Testamento ou Primeira revelação, onde o profeta Malaquias (Ml. 3:23 ou 4,5 em algumas Bíblias) se refere ao envio do profeta Elias antes da vinda do grande e terrível dia de Iahvéh.

Eis que vos enviarei Elias, o profeta, antes que venha o dia de Iahvéh grande e terrível.

Neste versículo, está prometido, através do profeta Malaquias, o retorno do profeta Elias, pois sabemos que Elias viveu no tempo do Rei Acabe (I Reis capítulos 17: 18 e 19). A promessa fala que ele voltaria antes do Grande e Terrível Dia de Iahvéh. Esta volta só poderia ocorrer através da Reencarnação.

Malaquias fala do profeta Elias que voltaria para preparar o caminho e identificar Jesus.

O profeta Isaías é quem inicia a realização do Dia de Iahvéh. Ele anuncia esta chegada, afirmando que alguém pregaria ou clamaria no deserto, preparando o caminho do Senhor.

Isaías 40:3: “Voz do que clama no deserto: Preparai o caminho do Senhor, tornai retas suas veredas”. Aqui unem-se os profetas Isaías e Malaquias, (3:23) o primeiro referindo-se a João, o Batista, pregando no deserto da Judéia e o outro referindo-se a João Batista, (Elias reencarnado), apresentando o Cristo como o cordeiro de Deus.

É o próprio Jesus, nos Evangelhos de Mateus 11:13; 17: 10-13 e Marcos 9:11-13, quem confirma estas profecias dizendo que Elias voltara, e as referências à preparação do Dia do Filho do Homem são encontradas em Lucas 17:22-36; João 8: 56; 1 Coríntios 1:8; 3:13; 2 Coríntios 1:14; Filipenses 1: 6 e 10; 2:16; 1 Tessalonicenses 5:2 e 4; 2 Pedro 3: 12 e 13; Apocalipse 16:14.

Encontramos no Evangelho de João 1:21 que João, o Batista, através de uma negação literal, diz não ser a pessoa do Elias, e nem poderia sê-lo pois agora é a pessoa de João, o Batista, porém com o mesmo espírito que, no passado, habitou o corpo de Elias. Quem confirma isto é o Cristo.

Sabemos ainda, que a misericórdia divina apaga as nossas lembranças do passado para não prejudicar a nossa evolução. Se soubéssemos quem fomos no passado, o que fizemos de mal aos nossos semelhantes, ficaria difícil a nossa convivência com eles, no presente. É claro que isto não se aplicava ao evoluído espírito de João, o Batista, no entanto, mesmo assim, ele também estava submetido à lei do esquecimento do passado, pois que, no corpo físico, nos é tirado o direito de lembrar de vidas anteriores, em nosso próprio benefício.

O Cristo fala em Mateus 11: 12-15, diretamente, afirmando que João, o Batista é a Reencarnação de Elias: “Desde os dias de João Batista até agora, o Reino dos Céus sofre violência, e os violentos se apoderam dele. Porque todos os profetas bem como a Toráh profetizaram até João. E se quiserdes dar crédito, é ele o Elias que devia vir. Quem tem ouvidos, ouça”.

Portanto, sobre a Reencarnação, como vimos neste capítulo, não há nenhuma dúvida. É Jesus nos ensinando e ratificando a necessidade de refletir com a expressão “Quem tem ouvidos, ouça!”

No Evangelho, segundo Mateus, cap. 16: 13-17, encontramos um diálogo entre o Cristo e os apóstolos, em Cesareia de Filipe na alta Galileia, onde Ele os interroga: “Que dizem os homens quanto ao filho do homem? Quem dizem que eu sou? Eles lhe responderam: alguns dizem que sois João Batista, outros Elias, outros Jeremias ou alguns dos profetas. Então lhes perguntou: E vós, quem dizeis que eu sou? Simão Pedro, respondendo disse: Tu és o Cristo, o filho do Deus vivo. Jesus respondeu-lhe: Bem-aventurado és tu, Simão, Bar-Jonas, porque não foi a carne nem o sangue que te revelaram isso, e sim o meu Pai que está nos céus”.

Ora, pela resposta dos apóstolos, notamos que tanto eles como o povo judeu, naquela época, acreditavam plenamente na Reencarnação e que grandes vultos, como os profetas, podiam voltar. Por isso, achavam que Jesus podia ser qualquer um dos grandes profetas do passado que havia voltado, ou seja, “reencarnado” e não ressuscitado. E note que, na sequência do diálogo, o Cristo não condena aquela crença judaica na Reencarnação. Ele não afirmou a nenhum dos discípulos que os profetas não podiam voltar. Nada mais claro de que todos viviam um período de total aceitação do princípio da REENCARNAÇÃO.

Isto ocorre ainda hoje. Os judeus ortodoxos possuem plena convicção da existência da reencarnação e, segundo eles, esta crença está de acordo com os ensinamentos da Torá

Na sequência, Jesus refere-se a Simão, com o termo Bar-Jonas, que, em aramaico representa um genitivo construto, significando filho de João. Muitos tradutores se confundem na tradução desta palavra que, em hebraico, Iohanan (João) é a mesma palavra aramaica, Ionáh (João). E assim, encontramos traduções usando o Iohanan hebraico, João, em citações e o aramaico Ionáh, traduzido como Jonas em outras. Veja Mateus 16: 13-17; João 1:42 e 21: 15-17. Pode-se notar que não existe uniformidade nas diversas Bíblias analisadas.

No entanto, a palavra correta seria Simão, filho de João, (Ionáh), em aramaico ou em hebraico, (Iohanan), e em grego (Ioannes), todos com o significado de “filho de João” e não “filho de Jonas”, como muitos tradutores o fazem.

Em Mateus 17:10-13, depois do episódio da Transfiguração no Monte Tabor: “Os discípulos perguntaram-lhe: Por que razão os escribas dizem que é preciso que Elias venha primeiro? Respondeu-lhes Jesus: Certamente Elias terá de vir para restaurar tudo. Eu vos digo, porém, que Elias já veio, mas não o reconheceram. Ao contrário, fizeram com ele tudo quanto quiseram. Assim também o Filho do Homem irá sofrer da parte deles. Então os discípulos entenderam que Ele se referia a João Batista”.

Ora, se Elias já veio e era João, o Batista, está aí uma outra prova contundente da Reencarnação de Elias, agora como João, o Batista.

João 1:21 :Os judeus enviaram de Jerusalém sacerdotes e levitas para interrogarem João, “Ao que lhe perguntaram: Então quem? És tu Elias? Respondeu ele: Não sou. És tu o profeta? E respondeu: Não”.

Este questionamento confirma a crença geral entre os judeus de que os profetas e outras grandes figuras do Antigo Testamento poderiam voltar reencarnados em outro corpo. Muitos se prendem à resposta de João: Não sou profeta. No entanto, o mais importante não é a resposta de João, mas sim a crença geral que existia entre os sacerdotes e os levitas que o foram interrogar, crença esta que aceitava o retorno de figuras importantes do passado. Do contrário, não teriam lhe perguntado: És tu o Elias? És tu o profeta?

Observe ainda que, no versículo 23 do capítulo 1, João responde que Ele é a voz que clama no deserto, predita por Isaías 40:3. E por que não poderia ser o Elias predito por Malaquias?

És tu o profeta? Aqui os sacerdotes e levitas referem-se ao Deuteronômio 18: 15-18, onde Moisés descreve que Iahvéh enviará o profeta: “Iahvéh teu Deus suscitará um profeta como eu no meio de ti, dentre os teus irmãos, e vós o ouvireis. É o que tinha pedido a Iahvéh teu Deus no Horebe, no dia da assembleia: “Não vou continuar ouvindo a voz de Iahvéh meu Deus, nem vendo este grande fogo, para não morrer”, e Iahvéh me disse: “Eles falaram bem. Vou suscitar para eles um profeta como tu, do meio dos seus irmãos. Colocarei as minhas palavras em sua boca e ele lhes comunicará tudo o que eu lhes ordenar”.

Veja este mesmo questionamento levantado pelos discípulos com relação ao Cristo em Mt. 16: 13-17 (já comentado anteriormente). Veja ainda João 1:25; 6:14 e 7,40. Atos 3:22 e 7:37.

Jesus fala claramente aos discípulos que João, o Batista é o Elias que voltou em espírito, porém reencarnado no corpo de João, o Batista. Quando Jesus fala, eu me calo e quem quiser ser contra ELE seja, eu porém fico sempre com Ele.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Compartilhar
Topo Cron Job Iniciado