pteneofrdeites
Artigo do Jornal: Jornal Janeiro 2015

Sobre o autor

Itair Ferreira

Itair Ferreira

Compartilhar -

Quando o insigne Allan Kardec formulava o princípio da doutrina espírita, ele se apoiou na base da “universalidade do ensino dos Espíritos”. Enviava as perguntas para “perto de mil centros espíritas sérios”, depois selecionava os textos, com as respostas dadas pelos espíritos superiores, por meio dos médiuns, obtendo “a sansão da concordância”. (1)

Kardec, com sua lógica cartesiana irretocável: verificar, analisar, sintetizar e enumerar, merecedor do título de bom-senso encarnado dado pelo sábio astrônomo Camille Flamarion, declarou: “Uma só garantia séria existe para o ensino dos Espíritos: a concordância que haja entre as revelações que eles façam espontaneamente, servindo-se de grande número de médiuns estranhos uns aos outros e em vários lugares”. (2)

Assim surgiu a Doutrina Espírita, o Espiritismo, termo criado por ele, assim como a palavra médium, hoje incorporada no idioma, constando até nas traduções bíblicas, a mancheias, e muitos outros neologismos igualmente popularizados. (3)

O Codificador, na organização das 1019 questões que compõem O Livro dos Espíritos, marco inicial do Espiritismo, nomeou a primeira questão como a de maior importância, ao perguntar: Que é Deus?, dedicando 16 questões ao capítulo primeiro: De Deus. (4)

A própria pergunta que fez já mostra a diferença da sua visão de Deus, em contraposição ao pensamento religioso da época: Que é Deus, e não quem é Deus, na concepção antropomórfica de um Deus eivado das paixões humanas.

E os Espíritos Superiores responderam: “Deus é a inteligência suprema, causa primária de todas as coisas”. (5)

Albert Einstein, o grande cientista que nos colocou na era atômica, declarou certa feita: “Não aceito o acaso, porque não posso imaginar Deus brincando de jogar dados com o Universo”, e o grande filósofo François Marie Arouet, imortalizado com o nome de Voltaire, dono de genialidade e humor exacerbados, enunciou: “Se Deus não existisse fora necessário inventá-lo”.

Deus é uma realidade incontestável. Se o Universo existe com toda essa maravilha de grandeza que a astrofísica nos mostra, há de ter uma causa. Por mais magnífico que seja, o Universo é o efeito. Como diz o axioma científico: “Não há efeito sem causa”; logo, Deus é a causa, pois o nada não pode produzir algo, qualquer coisa que seja. (6)

O Universo por si só não se explica, com bilhões de galáxias, hoje detectadas pelos poderosos telescópios. Cada uma dessas galáxias transporta milhões de estrelas, que por sua vez comandam os astros que lhe pertencem. Nossa galáxia, a Via Láctea, que é uma das menores, transporta milhões de estrelas, com seus sistemas planetários, dentre elas o Sol, estrela de quinta grandeza, com sua família de astros. E, mesmo sendo pequena a nossa galáxia, para que a luz a atravesse são gastos cem mil anos. Sabendo que a velocidade da luz é de 300.000 km/s, podemos ter uma vaga ideia do tamanho dela. No entanto, a harmonia impera. Deus é a causa dessa perfeita harmonia.

Diz o livro Eclesiastes: “Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu: Há tempo de nascer e tempo de morrer; tempo de plantar e tempo de colher”. (7) Tudo está sob rigoroso controle divino, como afirmou Jesus: “Nenhum pardal cairá em terra sem o consentimento de vosso Pai, e até os cabelos todos da cabeça estão contados”, (8) demonstrando que, nas mínimas coisas, Deus tem suas leis soberanas em ação. Do átomo ao Universo, nada escapa ao controle divino. Todas as coisas que acontecem e acontecerão têm a Sua aquiescência. (9)

Quanto a nós, que “somos deuses, somos todos filhos do Altíssimo”, como afirmou Jesus, – confirmando o Salmo de Asafe, (10) – tenhamos a certeza de que não sofreremos, nem um minuto a mais de tempo, tampouco um milímetro a mais de tamanho, do que precisamos para nos quitarmos perante a nossa consciência, onde está escrita a lei de Deus. (11)

Muita paz!

 

Notas bibliográficas:

1 – O Evangelho Segundo o Espiritismo – Introdução – Allan Kardec.

2 – Idem, ibidem.

3 – O Livro dos Espíritos – Introdução – Allan Kardec

4 – Idem, ibidem – capítulo I.

5 – Idem, ibidem – Questão 1.

6 – Os Morfeus do Sonho – capítulo V – A Causa de Tudo – pag.189 – 2ª edição – Itair Rodrigues Ferreira.

7 – A Bíblia Sagrada – João Ferreira de Almeida – Eclesiastes, 3.

8 – Idem, ibidem – Mateus, 10: 29 e 30.

9 – Os Morfeus do Sonho – cap. V– A Causa de Tudo – pág. 190 – 2ª edição – Itair Rodrigues Ferreira.

10 – A Bíblia Sagrada – João Ferreira de Almeida – Salmos, 82:6, e João, 10:34.

11 – O Livro dos Espíritos – Questão 621 – Allan kardec.

Compartilhar
Topo Cron Job Iniciado