pteneofrdeites
Artigo do Jornal: Jornal Outubro 2013
Compartilhar -
::cck::297::/cck::
::introtext::::/introtext::
::fulltext::

Objetivos das reuniões de materialização de espíritos –– Por que desapareceram as reuniões de materialização - Onde os médiuns de efeitos físicos podem atuar

     A realização das Reuniões de Materialização tem diversos objetivos. O primeiro deles é o de provar a imortalidade da alma. O segundo, consolar os que ficaram na Terra diante das perdas dos entes caros, e o terceiro objetivo prestar assistência aos enfermos.

    

     PROVA DA IMORTALIDADE DA ALMA

    

     As experiências de materializações de espíritos, de cunho científico, realizadas pelo cientista inglês William Crookes, são a maior prova de que depois da morte a alma continua a viver. Mas antes de demonstrá-las, vamos saber primeiro quem foi William Crokes, nascido em Londres, Inglaterra, em 17.06.1832, e desencarnado em 04.04.1919.

     Em 1878, Crookes apresentou à Sociedade Real o seu célebre trabalho sobre o quarto estado da matéria, que denominou "matéria radiante", acontecimento científico de repercussão internacional, que lhe proporcionou uma recompensa pela Academia de Ciências da França.

     Tal conquista, porém, não se realizaria sem os fenômenos de materialização de Katie King (1870-1873), obtidos com o concurso mediúnico da jovem Florence Cook, pois foi a observação desses fenômenos que pode ter despertado a atenção de Crokes, para verificar, na matéria tangível, estados especiais, ainda não explorados, no quadro geral do conhecimento humano, e que teriam grande influência na Física moderna. Admitido na Sociedade Química de Londres, o cientista tornou-se uma das maiores figuras dessa importante sociedade, especialmente depois de seu estudo sobre a natureza dos corpos simples.

     Foi Presidente da "Royal Society" (1913-1915) e de várias sociedades de cultura e consultor científico do Governo Britânico. Assistiu, por 3 anos, em seu laboratório, em Londres, à materialização integral de Katie King. Mediu, pesou e examinou meticulosamente o Espírito, constatando a realidade tangível da imortalidade da alma e o poder extraordinário que possui o Espírito, em utilizar-se da matéria física para se tornar tão real e vivo como os encarnados.

     Na foto nº 1 podemos ver o corpo da médium Florence Cook deitada no chão, o Espírito Katie King totalmente materializado, e William Crokes com uma luz iluminando o ambiente. Essa foto, portanto, afasta qualquer possibilidade de fraude, pois vemos a médium deitada no chão dormindo; o Espírito de Kate King em pé totalmente materializado; e William Crokes iluminando a cena com um foco de luz na mão.

     CONSOLO PARA OS ENTES QUERIDOS

    

     No segundo objetivo das reuniões de materialização, vamos encontrar na resposta da questão 934, de O Livro dos Espíritos, os fundamentos para essa realização. Nela, os Benfeitores Espirituais, respondendo a Allan Kardec sobre a dor que atinge a todos com a perda dos entes que nos são caros, dizem em certo trecho da resposta que:

     “...Tendes, porém, uma consolação em poderdes comunicar-vos com os vossos

     amigos pelos meios que vos estão ao alcance, enquanto não dispondes de

     outros mais diretos e mais acessíveis aos vossos sentidos”.

     Nessa resposta entendemos que a comunicação com os desencarnados pode ser feita nas reuniões de materialização de espíritos, como também, hoje em dia, através da Transcomunicação Instrumental. Aliás sobre esse tipo de fenômeno relato no livro de minha autoria, Morreram e voltaram para contar ( Editora Novo Ser), o fato do grande escritor Coelho Neto ter ouvido sua neta desencarnada falar ao telefone, inclusive registrando esse acontecimento numa reportagem do Jornal do Brasil de 23 de Junho de 1923.

     TISSOT VÊ A NOIVA MATERIALIZADA

     O pintor James Tissot (1836-1902) – foto nº 2 – foi atraído pelo fenômeno ao ler num jornal da descrição de uma sessão de materialização de espíritos. Logo em seguida, ele encontrou-se com o médium William Eglinton, o conhecido médium de efeitos físicos da idade vitoriana. Este médium nunca usava cabines, pelo contrário, assentava-se com os outros assistentes e permitia que suas mãos fossem seguras por eles.

     Numa sessão realizada em 1885, Tissot sentou-se à direita de Eglinton. Duas figuras se apresentaram à esquerda de Tissot: eram um homem e uma mulher, lado a lado. Nas mãos traziam bolas que os iluminavam perfeitamente, parecendo partir do plexo solar. Era Katherine Irene Newton, sua noiva, que tornara feliz sua vida durante seis anos, e seu guia espiritual.

     A luz emitida pelos Espíritos permitiu que Tissot gravasse os mínimos detalhes. Mal terminara a sessão, Tissot correu ao seu estúdio e debuxou o mais depressa que pôde as figuras da maravilhosa aparição. O quadro é um dos poucos, senão o único existente no mundo, com tais características – foto nº3.

     CONFORTO ESPIRITUAL

    
A comunicação com os espíritos desencarnados, para o Espiritismo, tem duas finalidades. A primeira é a de nos mostrar o caminho do bem, para realizarmos o nosso progresso moral. A segunda é de nos consolar diante das provas da vida.

     Esse consolo recebi nos idos de 1980, em reuniões de materialização de espíritos para assistência aos enfermos. Nelas, o médium de efeitos físicos fica deitado numa cama, quando seu corpo – desmaterializando-se por ação dos instrutores espirituais – passa a fornecer ectoplasma, substância com a qual os espíritos têm a possibilidade de se materializar.

     Nessas reuniões, fui abraçado e beijado pelos espíritos materializados de meus pais e de um dos meus filhos, desencarnado de câncer, aos dois anos de idade, dos quais tive conforto e coragem para viver.

     REUNIÃO PARA ASSISTÊNCIA AOS ENFERMOS

     Os fundamentos para a realização das Reuniões de Materialização para Assistência aos Enfermos vamos encontrar no capítulo 28 - Efeitos Físicos, do livro Nos Domínios da Mediunidade, quando o Instrutor Aulus, dirigindo-se a André Luiz pondera:

     “Só os doentes, por enquanto, no mundo, justificam a
nosso ver o esforço dessa espécie, junto das raras experiências,

     essencialmente respeitáveis e dignas, realizadas pelo mundo

     científico, em beneficio da Humanidade”.

    

     O Benfeitor Espiritual Emmanuel, também em mensagem “Nos Trabalhos de Materialização”, extraída do livro Materializações Luminosas diz textualmente:

     “...sugerimos sejam quaisquer serviços de materialização

     movimentados na direção da saúde humana. Por

     enquanto, só o esforço assistencial aos doentes justifica o

     desdobramento intensivo das nossas atividades nesse setor”.

    

     RISCOS PARA A ORGANIZAÇÃO MEDIÚNICA

    

     As advertências de André Luiz e Emmanuel a respeito do esforço do plano espiritual para que a realização das reuniões de Materialização sejam canalizados para um fim sério, ou seja, o socorro aos doentes, tem por motivo que:

    

     “Trata-se de serviço de elevada responsabilidade, porquanto, além de exigir todas as possibilidades do aparelho mediúnico, há que movimentar todos os elementos de colaboração dos companheiros encarnados, presentes às reuniões destinadas a esses fins. Se houvesse perfeita compreensão geral, respeito aos dons da vida, e se pudéssemos contar com valores morais espontâneos e legitimamente consolidados no espírito coletivo, essas manifestações seriam as mais naturais possíveis, sem qualquer prejuízo para o médium e assistentes. Acontece, porém, que são muito raros os companheiros encarnados dispostos às condições espirituais que semelhantes trabalhos exigem. Por isso mesmo, na incerteza de colaboração eficiente, as sessões de materialização efetuam-se com grandes riscos para a organização mediúnica e requisitam número dilatado de cooperadores do plano espiritual”. (Capítulo 28, Nos Domínios da Mediunidade).

    

    

    

     POR QUE DESAPARECERAM

    

     Enfim, para encerrarmos esta matéria à guisa de reflexão do por quê essas reuniões praticamente desapareceram dos Centros Espíritas, ouçamos a constatação do Benfeitor Espiritual André Luiz:

     “ ...Alguns encarnados, como habitualmente acontece, não tomam a sério as responsabilidades do assunto e trazem consigo, para as seções de materialização, emanações tóxicas, oriundas do abuso de nicotina, carne e aperitivos, além das formas-pensamentos menos adequadas à tarefa que o grupo deve realizar. Infelizmente essa é a razão!”

    

     ONDE OS MÉDIUNS DE EFEITOS FÍSICOS PODEM ATUAR

    

     No dia 20 de julho desse ano, a convite dos dirigentes do Grupo Espírita Jesus e a Caridade, rua Pará 33, em Santos, SP, promovemos o Seminário sobre o tema: Materialização de Espíritos. No final, o confrade José da Conceição Abreu, de Santos, formulou a seguinte pergunta:

     “Com base nos seus comentários de que praticamente não existem mais Reuniões de Materialização devido à falta de responsabilidade dos seus participantes, onde os médiuns de efeitos físicos podem atuar?”

     Respondi que eles podem atuar como médiuns passistas nas Reuniões de Estudos e Passes, e das de Desobsessão nos Centros Espíritas, assim doando seus fluidos para manipulação dos benfeitores espirituais a benefício da saúde orgânica e perispiritual dos encarnados e desencarnados.

       

materalializacao1

     FOTO NO º 1

    

    

    

    

    

    

     materalializacao2

    O PINTOR TISSOT TRABALHANDO NO SEU ATELIER

     FOTO Nº 2

materalializacao3

    

    ESPÍRITOS MATERIALIZADOS DA NOIVA DE TISSOT

E SEU GUIA ESPIRITUAL

     FOTO Nº 3

::/fulltext:: ::cck::297::/cck::
Compartilhar
Topo Cron Job Iniciado