pteneofrdeites
Compartilhar -

AOS DISCÍPULOS DE JESUS

Discípulo do Mestre, alça o pendão da crença!
Traze à noite da vida a sacrossanta esmola
Da paz que balsamiza, auxilia e consola,
Expressando no mundo a Divina Presença!...

Perdoa a incompreensão e esquece a dor da ofensa.
A luta sobre a Terra é a nossa grande escola,
Conduze a luz do bem, onde a treva se isola,
Ama, trabalha e serve, alheio à recompensa.

Embora sob a cruz, seja o amor teu exemplo,
A força do teu culto é o grande altar do Templo
Em que o teu coração se expanda, sirva e brade!...

Segue, de teus pés sangrando, a dolorosa via
E além da carne escrava encontrarás, um dia,
A vitória da vida, ao sol da eternidade. 

Solenidade comemorativa no Centro Espírita Luiz Gonzaga
Pedro Leopoldo – MG em 08.09.1952
Fonte: livro “Marcas do Caminho”
Psicográfia: Francisco Cândido Xavier
Espíritos diversos

AVE, MARIA! 

Ave Maria! Senhora
Do Amor que ampara e redime,
Ai do mundo se não fora
a vossa missão sublime !

Cheia de graça e bondade,
É por vós que conhecemos
A eterna revelação
Da vida em seus dons supremos.

O Senhor sempre é convosco,
Mensageira da ternura,
Providência dos que choram
Nas sombras da desventura.

Bendita sois vós, Rainha!
Estrela da Humanidade,
Rosa Mística da fé,
Lírio puro da humildade!

Entre as mulheres sois vós
A Mãe das mães desvalidas,
Nossa porta de esperança,
E Anjo de nossas vidas !

Bendito o fruto imortal
Da vossa missão de luz,
Desde a paz da Manjedoura,
Às dores, além da Cruz.

Assim seja para sempre,
Oh! Divina Soberana,
Refúgio dos que padecem
Nas dores da luta humana.

Ave Maria! Senhora
Do Amor que ampara e redime,
Ai do mundo se não fora
A vossa missão sublime!

Livro Parnaso de Além-Túmulo - Chico Xavier  

CONVITE

Lidador de Jesus, contempla o campo à espera...
Tudo é renovação na imensa gleba humana...
Agitadas e hostis em torva caravana
Fogem sombras do Mundo ao sol da Nova Era!...

Desfralda o próprio sonho à luz da alma sincera,
Aprimorando a fé na Vida Soberana,
E atendendo à extensão da paz que nos irmana,
Age, estuda, constrói, ampara, persevera!...

Liberta-te cumprindo o dever que te exalta,
"Elevar-se a servir" é a diretriz mais alta
De quem honra o progresso em trabalho fecundo...

Alteia-te no bem!... Abençoa e confia
E unidos em Jesus chegaremos um dia
À vitória do amor na redenção do Mundo!...

Chico Xavier - Livro - Estrelas no Chão 

HOMENAGEM A KARDEC

"Trouxeste, Allan Kardec, à longa noite humana,
O Cristo em nova luz - revivescida aurora! -
E onde estejas serás, eternidade afora,
A verdade sublime, em que o mundo se irmana.
Em teu verbo solar, a justiça se ufana
De aclarar, consolando, o coração que chora,
A fé brilha, o bem salva, a estrada se aprimora
E a vida, além da morte, esplende soberana!...
Escuta a gratidão da Terra... Em toda parte,
A alma do povo freme e canta ao relembrar-te
A presença estelar e a serena vitória.
Gênio, serviste! Herói, exterminaste as trevas!...
Recebe com Jesus, na glória a que te elevas,
Nosso preito de amor nos tributos da História.

Soneto recebido pelo médium Francisco C. Xavier
"O Franco Atirador" - Outubro de 2000

JESUS (I)

Reis, juízes, heróis, generais e tiranos,
Entre o ouro e o poder, de vitória em vitória,
Comandaram na terra a vida transitória,
Erguendo sobre o povo os braços soberanos.

E passaram fremindo, arrojados e insanos,
Ébrios de ostentação e famintos de glória,
Detendo-se, porém, nos túmulos da História,
Relegados à dor de cruéis desenganos.

Mas o Cristo, na palha, humilde e pequenino,
Traz consigo somente o Coração Divino,
Na exaltação do bem que ilumina e socorre...

E, brilhando por sol generoso e fecundo,
Em todas as Nações que engrandecem o mundo
É sempre o Excelso Rei do amor que nunca morre.

Psicografia Chico Xavier Livro:Antologia Mediúnica do Natal 

JESUS (II)

Eis que passa no tempo a imensa caravana -
A multidão revel que humilhada se agita -
Reis, tiranos e heróis, rondando a turba aflita
E fugindo à verdade augusta e soberana.

Sobre carros triunfais, a Terra se engalava...
E a mendaz ilusão freme, goza e palpita
Para rojar-se, após a miséria infinita,
Na cinza a que se acolhe a majestade humana.

Mas Tu, Mestre da Paz, que a bondade ilumina,
Guardas, imorredoura, a grandeza divina,
Sem que o lodo abismal Te afenda ou desconforte.

Tudo passa, descendo à sombra do caminho,
Mas no sólio da cruz inda imperas sozinho,
Na vitória do amor que fulge além da morte.

(Francisco Cândido Xavier por Espíritos Diversos. in: Nosso Livro) 

O FILHO E O PAI

Tange o bordão do tempo a clave do passado...
Vibram ondas no ar, e tudo então ressoa;
Oscila a escala inteira, e responde, e reboa
No universo infinito em Deus vivificado.

O ser, surpreso e aflito, a pouco e pouco entoa,
Entre vigília e sonho, o canto emocionado;
E Deus, que é puro Amor, desperta o filho amado
Apontando-lhe o céu no servir que abençoa,

Sofrer é condição, estigma doloroso,
Que elegemos um dia em feitor impiedoso
Ao pretender a vida alheia à Divindade...

Mas o Pai não se ausenta, e, embora posto à margem,
Deixa o filho imolar-se em negra e impura vargem,
Educando-lhe as mãos na glória da Verdade.

(Soneto ditado ao médium Gilberto Campista Guarino, no Culto do Evangelho no lar
do casal César-Yeda Soares, na noite de 3 de agosto de 1976, no Rio de Janeiro, RJ)
Obreiros do Bem - Agosto de 1976 

SÉCULO XX

Ante o século XX, em que a vida proclama
A vitória solar do cérebro sublime,
Alastram-se no mundo a santidade e o crime,
A glória senhoril e a decadência em lama.

Alteia-se no Espaço a inteligência em chama,
Enquanto, a pleno chão, em lágrimas se exprime
Espírito sem fé a que se colha ou arrime,
Entre a aflição que o fere e a luta que o reclama...

Qual estrela, porém, sobre o estranho conflito
Refulge o Espiritismo - a fonte do infinito -
A verter, sem que o lodo a tisne ou sobrenade!
A grandeza do Céu volve a falar de novo...
É Jesus que retorna ao coração do povo,
Para erguer sobre a Terra a Nova Humanidade. 

Psicografia Chico Xavier - Espíritos Diversos - Livro Servidores no Além
Digitação - Luciane Bortoluzzi 

SEM OURO
Sem ouro, o céu azul de estrelas se constela,
Quando a noite desdobra o manto da neblina...
E o Sol de flâmea luz, poderosa e divina,
Acende no infinito a deslumbrante umbela.

Sem ouro, em pleno vale, a flor humilde e bela
Exalta as mãos de Deus, embora pequenina,
E a fonte canta em paz a graça que a ilumina,
Sobre as pedras do chão que a sustenta e revela.

Sem recursos da Terra, o Rei da Excelsa Glória
Trouxe o esplendor celeste à carne transitória,
Eternizando o bem no abismo tredo e fundo!...

Da pequenez do verme à Divina Grandeza,
Somente pelo Amor há bondade e beleza
Para a glória da vida e redenção do mundo.

Solenidade comemorativa no Conservatório Mineiro de Música
Belo Horizonte - MG 09-09-1950

Fonte: livro "Marcas do Caminho"
Psicográfia: Francisco Cândido Xavier - Espíritos diversos

Compartilhar
Topo Cron Job Iniciado