pteneofrdeites
Compartilhar -

A SAMARITANA

Na Samaria, enquanto os companheiros
foram suprir a bolsa de alimentos,
Jesus, parou de andar dias inteiros,
propôs-se repousar alguns momentos.

Sentou-se o Nazareno ao pé da fonte,
O sol brilhava em raios refulgentes.
Havia ali um poço ao pé do monte,
que Pai Jacob legara aos descendentes.

Foi a mulher samaritana ali,
para tirar da linfa deliciosa.
Ao ver de pronto, o vulto do Rabi,
ficou assim um tanto receosa.

Pois quem seria o tal desconhecido,
de tão sublime olhar, tão lindo aspecto,
que ali estava a cismar, tão recolhido,
assim tão majestosamente quieto?

O Mestre ao vê-la, deu-lhe a perceber
que tinha sede e disse, em tom bondoso:
" Mulher: se queres, dá-me de beber,
pois vai o dia muito caloroso."

Ela, mirou-o mais. Depois, por fim,
um tanto embaraçada, respondeu:
" Pois como pedes de beber a mim?
Eu sou samaritana e Tu judeu ...?

" Se escutasses a voz mais interior
e julgasses de modo mais profundo,
saberias que Eu sou distribuidor,
da Água da Verdade neste mundo.

E se tivesses visto o dom de Deus
e fosse tua consciência mais ativa,
saberias quem sou entre os judeus,
e tu Me pedirias Água Viva!"

" Água Viva? ... Mas é tão fundo o poço,
que não podes cumprir esse desejo ...
Se a não podes tirar deste colosso,
onde tens, pois, a água, que não vejo?

Maior que Pai Jacob, és porventura?
Ele nos deu o poço no passado
e todos têm bebido com fartura,
o líquido que é sempre renovado ..."

Mas disse-lhe Jesus, todo bondade:
" Quem bebe desta água, Eu te asseguro,
por mais que beba e beba a saciedade,
terá contínua sede no futuro.

Esta que Eu dou, porém, é que sacia;
e não se tira de qualquer cisterna.
Quem dela bebe, é fonte que irradia,
emana a água para a vida eterna."

" Senhor! disse a mulher, da que Tu dás
eu beberei agora alegremente.
Assim, não terei sede e terei paz
sem ter que vir aqui constantemente."

" Pois vai então chamar por teu marido,
disse o Rabi e vem aqui depois.
Assim, não ficará como esquecido,
e do que Eu der a ti, darei aos dois."

Marido? ... Mas ... e um súbito rubor
roçou-lhe o rosto. Mas, com certo empenho,
algo nervosa, respondeu: " Senhor!
Não poderei chamar o que não tenho."

E, sentenciou, Jesus, profetizando:
" Numa verdade pura Me disseste.
Não é teu quem contigo está morando.
Maridos ... sei que cinco já tiveste ..."

" Senhor! Tu és profeta! Tu és profeta!
Exclamou a mulher admirada
pois como dás sentença tão correta,
sobre coisa que eu não Te disse nada?

Diz-me, então alguma coisa mais:
onde adorar a Deus? Aqui ou além?
Neste monte conforme nossos pais,
ou lá na capital, Jerusalém?"

Ouve-me bem, mulher, disse o senhor
Trago Comigo histórico momento.
Os que procuram luz e puro amor,
adorarão o Pai em pensamento.

Deus é o espírito da humanidade,
A mais pura e perfeita adoração,
seja feita em Espírito e Verdade,
com um altar em cada oração.

" Espera-se o Messias, bem o sei.
disse a mulher, buscando assunto novo.
É o Cristo que há de vir. E será Rei.
E tudo ensinará ao nosso povo."

" Por hoje Ele lhe disse vou findar
De nada mais precisas depois disto.
Procura neste momento recordar.
Eu que falo contigo ... Sou o Cristo!

Livro: Flores de Outono

AMOR

AMOR! Sublime e excelso sentimento!
Inesgotável fonte de ternura!
Lenitivo da dor, do desalento,
que, mesmo onde há desgraça, põe ventura!

Amor! Berço do afago e da conduta!
Segredo da Justiça e esquecimento!
Único apego em toda desventura ...
Único "Bem" que dá contentamento!

Amor! Farol de intensa claridade,
a iluminar os mundos do Infinito,
por onde há de passar a humanidade!

Vencendo os maus e convertendo ateus
e rebatendo todo o mal maldito,
o amor é doce paz ... o amor é Deus!

Livro: Flores de Outono

AS MORADAS DO CÉU

ESTRELAS do Infinito! Lâmpadas doiradas!
Sempre luzindo assim, em flocos pequeninos,
vós sois - não se duvida - as tais "muitas moradas"
de que Jesus nos fala em lúcidos ensinos!

Oh! Sois maravilhosos! Mundos peregrinos,
que andais em turbilhões, em loucas disparadas,
sulcando o espaço imenso, a preparar destinos
para as almas que estão do mal emancipadas.

Sois páginas de fogo, cheias de verdade,
falando eternamente, em todas as linguagens,
que mora em cada mundo igual humanidade.

Falais no mesmo tom, a crédulos e ateus:
Oh! Vós que contemplais as celestiais paragens;
nós somos como vós, nascidos de um só Deus!

Livro: Flores de Outono

CONVITE

O que tem olhos que veja
e ouça quem tem ouvidos.
Ignorante não seja,
por falta desses sentidos.
Vem vindo, devagarinho,
o reino de Amor e Luz.
É sempre o mesmo o Caminho:
o puro Amor de Jesus.

Ele convida o seu povo,
para a suprema vitória,
quando Ele volte de novo,
pleno de gozo e de glória.

E muito mais alegria,
terá o cordeiro consigo
se a ceifa daquele dia
Lhe apresentar muito trigo!

E quem não queira se joio,
na faina de seu destino,
busque em Jesus seu apoio,
nas luzes do Seu ensino.

O Espiritismo é do Cristo,
sua promessa cumprida:
" Eu vos darei depois disto,
novas palavras de vida."

Está travada a batalha,
às ordens do Salvador.
Não há Canhão nem metralha,
que vença as Hostes do Amor!

Se alguém quiser se alistar,
que ingresse no Espiritismo,
para com alma lutar,
por um sadio Cristianismo.

Livro: Flores de Outono

SEGUNDO CORAÇÃO

DEVERA, para o amor, haver na gente,
um outro coração intercalado,
que para o amor pulsasse unicamente,
sem ódio, sem rancor e sem pecado.

Que fosse um coração imunizado
contra qualquer sentido diferente;
feito do amor, por ele escravizado,
pulsando sem cessar, constantemente!

Que o amor impuro que há purificasse,
banindo a ingratidão, a falsidade,
e sem amar, a mais ninguém deixasse.

Que a vida desse o dom da meiga flor,
tornando-a, sem luxúria, sem maldade,
amor!. Somente amor! ... Somente amor! ...

Livro: Flores de Outono

VENENO MORTAL

DESPERTA, oh! Meu irmão! Eis que te chama
a voz de Deus, plantada no Infinito!
Basta de sangue e horror. Chega de lama!
Põe-te de pé, de coração contrito!

Escuta a clarinada. Escuta o grito
que vem do espaço e teu amor reclama!
Deixa do passado estúpido e maldito!
Adora a Deus! A humanidade ama!

Deslumbra-te ao claror da aurora santa.
Alvorada de amor, de amor profundo ...
que canta aqui ... que em toda a parte canta!

Sacode o pó do orgulho e da jatância.
Ajuda a combater o mal do mundo:
o veneno mortal da ignorância!

Livro: Flores de Outono

PROFISSÃO DE FÉ

ESPÍRITAS! Vencei o medo atroz
de confessar o Cristo! Meus irmãos,
se o cristianismo está vivendo em vós,
que todos saibam que vós sois cristãos!

Não cultivemos preconceitos vãos!
Que todos vejam bom exemplo em nós.
Vede que o Cristo nos estende as mãos
e nos convida a ouvir-lhe a santa voz!

Avante, pois! Dizei a todo mundo:
que o Espiritismo é esplêndida verdade!
e que votais ao Cristo amor profundo!

Que observais do Mestre os Seus ensinos
e que também amais a humanidade,
amando o Pai de todos os destinos!

Livro: Flores de Outono

O CONSOLADOR

JESUS, Mestre Divino. Há dois mil anos
vieste visitar a humanidade.
quiseste confundir bons tiranos,
na mesma Lei de Amor e Caridade.

Pregaste muito amor, muita bondade,
na lúcida passagem de alguns anos.
Os homens, mais afeitos a maldade,
causaram-te amargura e desenganos!

E agora veio o Teu "Consolador",
a confirmar o que disseste outrora,
trazendo nova luz e mais amor!

Bem haja que, Jesus de Nazaré,
os homens Te compreendam mais agora,
no áureo resplendor da nova Fé.

Livro: Flores de Outono

NOVO RUMO

ANDEI por este mundo, inutilmente,
vagando por veredas tenebrosas.
Um fardo de matéria que eu, demente,
Levava sob angústias clamorosas ...

Só tive dores, lutas dolorosas,
porque os homens fizeram-me indolente
na busca das cousas venturosas,
que existem no Infinito, tão somente.

Agora, novos rumos! Deixo os velhos!
A carga já não pesa, a dor não dói,
guiado pela luz dos Evangelhos!

Levo sozinho, agora, a minha cruz,
pois a paciência todo o mal destrói,
seguindo o santo exemplo de Jesus!

Livro: Flores de Outono

ANJO DE REDENÇÃO

Do céu desceste, resplendente e puro
E no santo mistério em que te apagas
Vestiste-me o burel de sânie e chagas
E algemaste-me a lenho estranho e duro

Nume solar pairando no monturo,
Terno, escondendo as flores com que afagas,
Ouviste-me, em silêncio, o choro e as pragas,
Doce e invisível no caminho escuro!...

Mas, da cruz de feridas que me deste,
Libertaste meu ser à Luz Celeste,
Onde, sublime e fúlgido, flamejas!

E agora brado, de alma robusta:
- Deus te abençoe, ó Dor piedosa e justa,
Anjo da redenção! bendito sejas!...

(Do Livro Parnaso de Além-Túmulo, psicografado por Chico Xavier)

CONSELHO AMIGO

Meu irmão, que na terra se alimenta
Do pão amargo de cruéis labutas
Sem ver o fim das provas em que lutas,
Sem acalento e fé na alma sedenta;

Abeira-te como eu em dores mudas
Da Bondade de Deus que dessedenta
Toda ânsia de paz que brota lenta
Ao rastejarmos em estradas brutas.

E através da paciência que ilumina
E da alegria em meio às próprias chagas
Na fé renovadora de Jesus,

Encontrarás ao fim da dura sina
Como achei eu, após as minhas mágoas,
O Lar Celeste te esperando em Luz!

(Do Livro Imortais da Poesia, psicografado por Dora Incontri)

NUNCA É TARDE

SE a humanidade visse um pouco além
da sua visão carnal, minguada, estreita,
talvez tivesse a ciência que não tem,
de ver na morte a vida mais perfeita.

Então não andaria insatisfeita,
a consumir seus dias no desdém.
Conheceria a Lei de Deus, que é feita
para ensinar a evolução do Bem.

Mas nunca é tarde. Pode ser que um dia
cansada das doridas amarguras,
onde ela crê ser noite, veja o dia!

E então ... há de chorar por não ter visto,
que o que a levava a pérfidas loucuras,
era não crer no Amor de Jesus Cristo!

Livro: Flores de Outono

Compartilhar
Topo Cron Job Iniciado