pteneofrdeites
Artigo do Jornal: Jornal Outubro 2017
Compartilhar -

Uma reunião de confraternização, de alegria e, acima de tudo, histórica, como bem frisou Marco Aurélio, Presidente do Centro Espírita Jacarepaguá - CEJ, na abertura do encontro em que marcou a inauguração na sede da instituição do seu Espaço Memória, no domingo, dia 27 de agosto de 2017 com a presença de quase 100 convidados.

Em breves palavras Marco Aurélio buscou mostrar que o Espaço Memória é uma contribuição para perpetuar os sólidos valores deixados por grandes desbravadores do Espiritismo no Brasil, já que a doutrina tinha acabado de surgir na França, no século XIX, deixando para as gerações vindouras os preciosos exemplos dos heróicos espíritas, garantido a perpetuação do legado iniciado por Allan Kardec, através da Doutrina dos Espíritos. Preservar a memória é imortalizar estes bons exemplos, na Terra de Ismael, Coração do Mundo, Pátria do Evangelho, concluiu Marco Aurélio.

Em seguida, com todos de pé, houve a execução do Hino Nacional e a prece de abertura.

Coube a Murilo, ex-dirigente e permanente colaborador do CEJ, contar um pouco da história da casa fundada em 1872, na Cachoeira, Estação Engenho Novo, por abnegados trabalhadores do bem, inicialmente com o nome de Grupo Espírita Fé, Amor e Caridade Santo Agostinho.

Foi a partir de 1904 que a instituição passou por um grande processo de reorganização, já na Rua Baronesa de Uruguayana, 2-B, tendo como presidente José Francisco da Rocha, cujo mentor espiritual era Bezerra de Menezes. Neste mesmo ano, em 12 de dezembro, foram aprovados em Assembléia Geral seus estatutos. E, em 1905, é leito para a presidência do CEJ, João Luiz de Paiva Junior que permaneceu por longos anos como dirigente e colaborador da casa, até a sua desencarnação de 1950.

Em 14 de abril de 1922, por proposta de Gustavo Adolfo Oscar do Amaral Ornellas (1885-1923), foi decidido que o grupo passaria a denominar-se CENTRO ESPÍRITA JACAREPAGUÁ já que a maioria dos frequentadores residiam no bairro de Jacarepaguá, ocasião em que foi constituída sua primeira diretoria.

Ao longo dos anos o Centro Espírita Jacarepaguá passou por diversos endereços até o domicílio atual cujo terreno de 250 metros quadrados foi doado pelo casal José Rangel e Jacinta Guimarães Rangel, tendo por finalidade a construção da sede do CEJ, sem outra finalidade, pois ocorrendo a dissolução da instituição, o imóvel deveria ser transferido à Federação Espírita Brasileira.

O Centro Espírita Jacarepaguá - CEJ é adeso a Federação Espírita Brasileira desde 1926. É também associada do Conselho Espírita do Estado do Rio de Janeiro.

A pureza dos postulados contidos na codificação kardequiana é ponto fundamental de doutrinação do CEJ e hoje a instituição possui um trabalho de evangelização infantil, inclusive bebês - na construção de uma nova Humanidade -, digno dos maiores elogios.

Uma caravana de 16 pessoas do Centro Espírita Paiva Junior, do município de Cordeiro-RJ esteve presente ao evento mostrando muita alegria por participarem daquele histórico momento.

O CEJ prestou algumas homenagens para marcar o momento em que destacamos as figuras de Gerson Simões Monteiro e Palmiro Costa, já desencarnados, cujas esposas Maira Lemgruber Monteiro e Márcia Copello se fizeram presentes.

As festividades continuaram, até o grande momento que foi a inauguração do Espaço Memória, que funciona no andar de cima do CEJ, com o desenlace da fita simbólica, por dirigentes e convidados.

Em seguida foi servido um delicioso lanche, com salgados acompanhados de refrigerantes.

E, finalizando queremos parabenizar aos dirigentes, colaboradores, frequentadores e, principalmente a equipe constituída para a criação do Espaço Memória, brilhantemente conduzida e orientada por Tereza Silva. Parabéns a todos! 

Compartilhar
Topo Cron Job Iniciado