pteneofrdeites
Artigo do Jornal: Jornal Dezembro 2016

Sobre o autor

Dirceu Machado

Dirceu Machado

Compartilhar -

James Jay Mapes nasceu a 29 de maio de 1806 e desencarnou em 10 de janeiro de 1866. Em sua vida dedicou-se a diferentes atividades, mas pode-se resumir dizendo que era um químico, um inventor e um educador americano tendo se destacado principalmente por suas realizações na agricultura científica. Entretanto, também se dedicou às pesquisas psíquicas, o que era comum em sua época, principalmente com o intuito de provar a seus amigos que os fenômenos de efeitos físicos observados e aceitos, nada mais eram do que fraude. Sua argúcia e determinação nas pesquisas científicas acabaram por lhe demonstrar a veracidade dos fenômenos.

 

PRIMEIROS ANOS

Seu pai, Jonas Mapes, era um major-general no comando das forças do estado de Nova York em 1812. Quase todos os seus antepassados do lado do pai foram Agricultores em Long Island, de volta a 1640, quando Thomas Mapes veio da Inglaterra e estabeleceu-se lá. Em seus primeiros anos, James mostrou paixão pela química, invenção e assuntos militares. A partir da idade de 11, por alguns anos, ele estudou na escola clássica de Timothy Clowes em Hempstead, Long Island, enquanto vivia com renomado reformador Inglês William Cobbett. Com apenas dezessete anos de idade, fez um curso completo sobre "Táticas Militares" em Nova York.

Aos vinte e um anos Mapes casou-se com uma senhora de Long Island, Sophia Furman, dois anos mais jovem, filha do juiz Garret Furman, de Maspeth, Long Island.

 

ATIVIDADE PROFISSIONAL

Mais tarde Mapes tornou-se conhecido como um químico analítico, e suas análises de cerveja e vinhos, feitos a pedido do senado de Nova York e as sociedades de temperança, foram considerados como experimentos padrão. Ele foi um dos primeiros fabricantes de sulfato de magnésio a partir de hidrossilicato de magnésio e autor de muitas melhorias no aço temperado, destilação, tingimento e outras áreas. Em 1832, ele inventou um novo sistema de refinação de açúcar e mais tarde um aparelho para a fabricação de açúcar a partir da cana. Ele foi o inventor de processos para curtimento de couro e fabricação de açúcar de melaço da Índia Ocidental. Ele também projetou uma máquina centrífuga para separar o melaço do açúcar.

Logo após a organização da Academia Nacional de Design em Nova York, ele foi nomeado professor de química e filosofia natural para essa instituição. Posteriormente, foi nomeado professor de química e filosofia natural para o Instituto Americano.

 

DIVERSAS SOCIEDADES PROFISSIONAIS

Em 1844 ele foi eleito presidente do Instituto de Mecânica de Nova York. Foi um dos fundadores da Sociedade Nacional Agrícola e ocupou o cargo de vice-presidente do Instituto Americano, com o qual esteve ligado ativamente por, pelo menos, 25 anos. Foi membro permanente do Liceu de História Natural de Nova Iorque e do Instituto Nacional de Washington e membro honorário do Instituto Científico de Bruxelas, Sociedade Real de São Petersburgo, Sociedade Geográfica de Paris, Sociedade de Fundos de Artistas de Paris Filadélfia, e várias sociedades hortícolas e agrícolas da Europa e América.

Em 1847, Mapes mudou-se para Nova Jersey, comprou uma fazenda lá, perto de Irvington, e dedicou-se à agricultura científica, particularmente fertilizantes (o "Fertilizante Mapes" patenteado em 1859), drenagem, rotação de culturas e semeadura. Ele estava ativamente popularizando seus métodos agrícolas, através de exposições públicas em sua fazenda. Em Newark, Nova Jersey, Mapes organizou o Instituto Franklin e foi seu primeiro conferencista. Em julho de 1851, tornou-se editor associado do Journal of Agriculture, uma edição semestral iniciada em Boston. Como escritor, ele foi distinguido por concisão e simplicidade de estilo.

 

ENCONTRO COM A ESPIRITUALIDADE

 

Por volta de 1854 decidiu pesquisar os chamados fenômenos mediúnicos que haviam chamado a atenção de muitos de seus amigos. Segundo Mapes, seus amigos estavam "correndo para a demência mental ou imbecilidade e era necessário resgata-los da epidemia mediúnica". Depois de investigar por vários anos e muitos médiuns, Mapes mudou de opinião. Além disso, sua esposa e filha se tornaram médiuns.

Mapes deixou seu testemunho destemido nos seguintes termos:  

“As manifestações das quais participei foram tão pertinentes aos fins requeridos e foram tão conclusivas em seu caráter que estabeleceram em minha mente certos pontos cardeais. Estes são:

Primeiro: há um futuro estado de existência, que é apenas uma continuação do nosso presente estado de ser; 

Segundo: que o grande objetivo da natureza, como mostrado através de uma grande variedade de existências espirituais é a progressão, estendendo-se para além dos limites desta esfera mundana;

Terceiro: que os espíritos podem e se comunicar com os mortais, e em todos os casos evidenciam um desejo de elevar-se e avançar junto com aqueles com quem comungam.

James Jay Mapes, químico, inventor e educador americano é mais num exemplo de que ciência e espiritualidade podem caminhar juntas.

 

Referência:
Este artigo incorpora o texto de um trabalho no public domain: História biográfica e genealógica da cidade de Newark e do condado de Essex, New-jersey. 1898.

Compartilhar
Topo Cron Job Iniciado