pteneofrdeites
Artigo do Jornal: Jornal Agosto 2015
Compartilhar -

O médium brasileiro Carmine Mirabelli nasceu em 02 de janeiro de 1889, na cidade paulista de Botucatu. Foi considerado um dos maiores médiuns de efeitos físicos no mundo. Ele levitava, materializava objetos e pessoas desencarnadas.

Em dado momento da sua vida mediúnica, passou a pintar com pintores famosos em curto espaço de tempo, criando telas em crayon, aquarela, óleo e outras modalidades, formando uma galeria com cerca de quarenta quadros belíssimos de retratos, grupos, paisagens, flores, pássaros e animais.

Na música, ele tocou ao piano as obras de Richard Wagner e de outros músicos eruditos, com grande perfeição, sem nunca ter estudado música. Mas o que realmente se tornou um fato extraordinário foi quando incorporou o gênio da música Niccolà Paganini, numa reunião em Santos, onde tocou várias peças ao violino, numa corda só, como em vida terrena fazia Paganini, em Paris. Tudo presenciado por uma plateia cultíssima e estupefata.

Embora os diversos biógrafos do músico genovês contam inúmeras fábulas sobre Paganini, sabemos que tudo não passou de lendas assombrosas, provocadas pela imaginação das pessoas e, que mais lhe serviram de propaganda do que propriamente de realidade.

Mas, quanto ao médium brasileiro, nada fez senão atender aos propósitos sérios que a sua mediunidade proporcionava à orientação criteriosa das equipes espirituais que lhe acompanhavam no trabalho.

No mundo das letras, escrevia com tamanha velocidade assuntos complexos com bastante clareza e poder de síntese, falava em vinte e oito idiomas e escrevia em outros tantos, bem como dissertava com critério e grande lucidez sobre Medicina, Direito, Sociologia, Economia, Política, Teologia, Psicologia, História Natural, Astronomia, Física, Lógica, Música, Ocultismo, Naturalismo, defendendo teses exaustivas sobre todos esses assuntos.

Carmine Mirabelle morreu aos 62 anos de idade, vítima de atropelamento. Sua contribuição ao Espiritismo é enorme, porque se colocou à disposição para atender todas as necessidades da divulgação desses fenômenos mediúnicos.

N’O Livro dos Médiuns, encontramos excelentes explicações dentro do capítulo XIV, intitulado Os Médiuns, onde Allan Kardec discorre sobre o tema em questão, mostrando a variedade de manifestações físicas, bem como os Espíritos influenciam as pessoas em qualquer grau de intensidade.

Diz o mestre de Lion que essa faculdade é inerente ao homem. Por isso mesmo não constitui privilégio e são raras as pessoas que não a possuem, pelo menos em estado rudimentar.

Afirma, também, que essa faculdade não se revela em todos da mesma maneira. Os médiuns têm, geralmente, aptidão especial para esta ou aquela ordem de fenômenos, o que divide em tantas variedades quantas são as espécies de manifestações.

Carmine Mirabelli trouxe à luz da razão os efeitos físicos produzidos pela a sua mediunidade, e sabemos que outros tantos médiuns, artistas ou não, têm a propriedade de se beneficiar dessa ajuda em suas apresentações, embora desconheçam ainda os seus meios.

É importante ressaltar que a mediunidade em certos artistas é tão evidente, que aos olhos dos que conhecem essas manifestações sutis fica mais evidente.

A mediunidade não é somente um meio para as nossas comunicações com o Além-Túmulo. Ela tem a responsabilidade de conexão, visando garantir cada vez mais as nossas relações com o Universo e os seus mundos paralelos.

Yvonne do Amaral Pereira nos fala, em seu livro Pelos Caminhos da Mediunidade, que o espírita precisa, ainda, conhecer um pouco de História, a fim de poder dar expansão às inspirações que desceram do invisível, ajudando nos trabalhos a realizar para a divulgação de sua crença, pois em todas as civilizações deste mundo existiram o rastro da comunicação dos espíritos e dos princípios Divinos.

Compartilhar
Topo Cron Job Iniciado