pteneofrdeites
Artigo do Jornal: Jornal Marco 2019

Sobre o autor

Fátima Moura

Fátima Moura

Compartilhar -

“Bem-aventurados os que são brandos, porque possuirão a Terra. Bem-aventurados os pacíficos, porque serão chamados filhos de Deus.”

(Jesus - Mateus, 5:4-9)

 

Tenho observado com tristeza e perplexidade, casos extremos que retratam as várias formas de violência a que estamos submetidos em nosso dia a dia.

Mulheres são espancadas, crianças brutalizadas, animais abandonados, pessoas cruelmente assassinadas por coisas banais, que vão de alguns trocados a um simples aparelho celular.

Assim como eu, creio que muitos de nós, mesmo os mais espiritualizados, nos questionamos se o mundo está mais violento do que antes, mas, se observarmos com atenção, o que podemos perceber é que com a rapidez com que as notícias nos chegam através dos meios de comunicação, adquirimos essa falsa impressão de que incessantemente o mal gira ao nosso redor, nos fazendo pensar que espíritos mais rudes estão dominando a terra.

Nas casas espíritas, muitas palestras e estudos nos ensinam que o espírito não regride. Nos dizem os amigos espirituais que um número muito grande de espíritos em condições precárias, como a ausência do senso moral, movidos ainda somente por instintos, espíritos em condições rudimentares são enviados ao planeta Terra a fim de empreender processos de regeneração, mas, como ainda estão ligados ao mal, deixam envolver-se por ações contrárias, ajudando a fomentar esse clima de tantas dores que ainda assola o nosso planeta.

 

Em O Livro dos Espíritos, na questão 756, Allan Kardec pergunta aos espíritos:

756. A sociedade dos homens de bem se verá algum dia expurgada dos seres malfazejos?

E os espíritos responderam:

 “A Humanidade progride. Esses homens, em quem o instinto do mal domina e que se acham deslocados entre pessoas de bem, desaparecerão gradualmente, como o mau grão se separa do bom, quando este é joeirado. Mas, desaparecerão para renascer sob outros invólucros. Como então terão mais experiência, compreenderão melhor o bem e o mal. Tens disso um exemplo nas plantas e nos animais que o homem há conseguido aperfeiçoar, desenvolvendo neles qualidades novas. Pois bem, só ao cabo de muitas gerações o desenvolvimento se torna completo. É a imagem das diversas existências do homem.”

O homem a cada dia afasta-se de Deus. A preocupação com o ter, e não com o ser, o faz desejar o poder através de bens materiais, esquecendo-se que o seu mundo interior é que precisa de intensa e constante lapidação.

O espírito Joanna de Ângelis nos lembra que: “A agressividade reponta desde o primeiros dias de vida infantil e deve ser disciplinada pela educação, na sua nobre finalidade de corrigir e criar hábitos salutares”.

Para nós, espíritas, o livre-arbítrio, é o poder que tem a vontade de se determinar por si mesma, é quem define nossas ações.

Jovem, busquemos a paz, cultivemos a paz e que sob a inspiração da nossa amada Doutrina Espírita, possamos nos moralizar a cada dia, para que a paz esteja sempre em nós!

Compartilhar
Topo
Ainda não tem conta? Cadastre-se AGORA!

Entre na sua conta

Cron Job Iniciado