pteneofrdeites
Compartilhar -

Palestra: " A VIDA CONTRA O ABORTO "
Palestrante : Dr. Ernani Sampaio
DIA: 23 /10/2009 - SEXTA-FEIRA - ÀS 15:00 HORAS - AUDITÓRIO DO HOSPITAL DO CÂNCER II/INCA.
RUA EQUADOR, 831 - SANTO CRISTO - RIO DE JANEIRO -RJ. (Próximo à Rodoviária Novo Rio)
-Palestra aberta a todos os interessados.

Palestrante de " A Vida contra o Aborto" - ( fundamentos de embriologia, as consequências físicas e espirituais do aborto, os Direitos do embrião/feto/nascituro, o aborto na visão espírita, as estatísticas , a legislação, etc)

• No Brasil ocorrem 1 milhão de abortos por ano ( corresponde à população de Campinas - SP), com cerca de 200 mortes de mulheres. Caso se legalize o aborto a previsão é que ocorram cerca de 11 milhões de aborto/ano (correspondente à população de São Paulo-SP).
• No Brasil, no SUS, são feitos cerca de 2000 abortos/ano com autorização judicial, com custo de 300 mil reais.
• No Brasil, o SUS interna 230 mil mulheres/ano devido a complicações decorrentes da tentativa de aborto ou complicações pós abortos, com custo de R$ 34 milhões.
• O aborto é responsável por 10% das mortes maternas relacionadas à gravidez.


A voz do Embrião ou Feto ou Nascituro : "Eu Tenho Direito à Vida".

• O Embrião ou feto ou nascituro não pertence à mãe, ao pai, ao juiz, à equipe médica, nem ao Estado. Pertence, exclusivamente a ele mesmo, porque a vida lhe foi outorgada, é um patrimônio intrínsico, inerente a sua condição de organismo humano vivo. Ele é um ser vivo autônomo e independente que se hospeda durante 9 meses no corpo da mãe. São dois corpos, duas almas...duas vidas!
• O Nascituro produz um mecanismo imunológico para resistir à rejeição imunológica do corpo da mãe, que a princípio o encara como se fosse um corpo estranho.
• A vida começa no momento exato da concepção.
• A célula-ovo é a nossa primeira morada, que em pouco tempo se transformará em um ser humano multicelular, onde estudos científicos confirmam que já há nesse momento uma individualidade embrio-fetal determinada, inclusive imunológica e psicológica. O Nascituro tem vida emocional própria, experimentando prazer e desprazer, dor e tristeza, como também bem-estar, através de um relacionamento intenso com a mãe.
• A definição de Emmanuel a respeito do aborto: " Crime estarrecedor, porque a vítima não tem voz para suplicar piedade e nem braços robustos com que se confie aos movimentos da reação".
• Os Nascituros ou embriões/fetos originados de estupros têm direito à vida, pois não são responsáveis pelo crime do pai biológico, e eles têm uma missão divina a cumprir nessa vida terrena. As mães poderão doá-los, que matá-los ( Madre Tereza de Calcutá).
• Os Anencefálos ou os que têm má formação anatômica, também têm direito à vida, pois os poucos minutos que tiverem após o nascimento lhe serão importantes no seu resgate espiritual. ( Aborto Eugênico)
• Risco de vida para Mãe?? (aborto terapêutico ?) Com o avanços em tecnologia médica, avanços em genética, farmacologia, biologia molecular, hoje, já se pode preservar as duas vidas.
• A pílula do Dia Seguinte - impedem a nidação do ovo já fecundado.

Perguntas e Respostas :

1) Qual o Primeiro dos Direito Naturais do Ser Humano ?
- O de Viver !

2) Quando o espírito se une ao corpo?
- No momento da Concepção. Laços Fluídicos os unem até o nascimento.
3) Constitui crime a prática do aborto em qualquer fase da gestação?
- Transgressões à leis divinas....impede a alma de passar pelas provas que teria que passar. O corpo é o instrumento onde o espírito passará pelas provações, expiações e resgates espirituais.

O Direito à vida no Ordenamento Jurídico

Na visão jurídica, o direito à vida é colocado como o primeiro dos direitos naturais, com caráter inviolável, intemporal e universal.
- Artigo 5 da Constituição Brasileira (1988) - " A inviolabilidade do direito à vida ".
- Artigo 2 do Código Civil (2002) - " A personalidade civil começa com o nascimento, mas os seus direitos começam com a concepção."
- Convenção Americana sobre os Direitos Humanos - " o direito à vida está protegido pela Lei, a partir da concepção".
- Preâmbulo da Convenção Sobre os Direitos da Criança - " A criança, por falta de maturidade física e mental, necessita de proteção legal, tanto antes como depois da nascimento".
"O Direito reconhece que a pessoa, mesmo que ainda não nascida, tem personalidade jurídica."

Compartilhar
Topo
Ainda não tem conta? Cadastre-se AGORA!

Entre na sua conta