pteneofrdeites
Artigo do Jornal: Jornal Marco 2019

Sobre o autor

Djalma Santos

Djalma Santos

Compartilhar -

“É interessante observar que, sem o interesse do homem terrestre, na melhoria do seu rendimento espiritual, olhando para o futuro com amor e dedicação, dificilmente poderá se beneficiar da luz espiritual, que diuturnamente atinge”.

        O amor é a essência divina que envolve as criaturas, em todas as faixas do Universo de Deus. É profundo como o mar aberto, infinito como o céu estrelado, abraçando ricos e pobres, fracos e fortes, comandantes e comandados, reis, príncipes, e plebeus, numa interação energética divina, abrangendo a todos, sem exclusões, reaquecendo a natureza inteira, como se fosse um infinito sol, vivificando almas que caminham para Deus; penetrando as trevas do nosso egoísmo, alcançando por fim o coração humano. Todos os seres foram criados para amar, porque as partículas morais do amor, repousam na fecundidade de Deus, e o amor florescerá sempre, até que um dia, possa reunir a humanidade terrestre, numa comunhão de fraternidade universal.

        À medida que a mente humana se expande ou se contrai, durante sua marcha ascensional para Deus, ela se estrutura e dimensiona sua capacidade de pensar e decidir, de acordo com seu livre arbítrio, seu espaço e seu tempo em correspondência aos ritmos vitais, que são de sua estrutura íntima, mas só aos poucos o espírito irá se libertando, dos automatismos herdados de vidas anteriores, a partir do tempo em que passa a desenvolver valores, consciências e capacidade e autodomínio, acomodando-se muitas vezes, inconscientemente ou conscientemente, ás faixas do tempo e do espaço de que necessita, até atingir os estágios  do conhecimento e da sabedoria eterna.

        Por meio da articulação das sinergias funcionais, e dos tecidos de forças que o envolvem, o espírito imortal constrói o seu “cosmo” individual, em que se movimenta, e pelo qual ´o único responsável, podendo se sublimar ou se degenerar, dependendo, é claro, das opções que fizer para o lado bom ou mal, provocando muitas vezes “implosões psíquicas”, de alto teor negativo, através de sua “aura humana”; ou ainda, se transfigurando no corpo físico e no espiritual, aqui ou no além. Com a descoberta da “electronografia”, já se pode analisar os diversos campos elétricos do corpo humano; e ainda o esforço de cientistas soviéticos, que conseguiram fotografar pela primeira vez, as radiações humanas pelo método “Kirlian”.

        Esses avanços incontestáveis da capacidade humana, nos dão uma ideia clara e cabal, de que já estamos muito perto da Transição Planetária, e que só depende o homem, esse herdeiro de si próprio, realizar mais algumas mudanças, principalmente no campo do comportamento, que certamente é o mais carente no momento em que atravessamos. O compartilhamento entre as nações já se faz presente, e as guerras estão diminuindo, existindo apenas alguns bolsões   de violência e maldade, mas que estão sendo reprovados pela maior parcela da humanidade terrestre.

        O espírito imortal está fadado a evolução, ao crescimento, a superação e transcendência, assim como a conquista do amor, e mesmo quando o espírito guarda no íntimo de sua alma, barreiras que dificultam a implantação do bem, a divina claridade de Deus, jamais deixa de abençoa-lo, porque ainda que alguns raios vivificantes de desviem, nada impede que um maior tanto de luz, continue incidindo sobre a criatura humana, até que, com a evolução da mente e do pensamento contínuo, o ser humano consiga aplicar em si mesmo uma blindagem de luz, dificilmente ultrapassada pelos miasmas das trevas.

        É interessante observar que, sem o interesse do homem terrestre, na melhoria do eu rendimento espiritual, olhando para o futuro com amor e dedicação, dificilmente poderá se beneficiar da luz espiritual que o atinge, como também não poderá se furtar ao assédio das trevas, que estão dentro de nós mesmos, e por isso Jesus afirmou:” O Reino de Deus está dentro de vocês”; mas poderia ter dito também: o reino do mal também está dentro de vocês, ou seja, carregamos conosco o bem ou o mal, que devemos extirpar, praticando ações enobrecidas no campo do bem.

        “Nada muda se você não mudar”, diz uma assertiva tão antiga quanto o homem, e corresponde a pura verdade, porque as mudanças começam dentro de nós, e é muito comum desejarmos a mudança do outros, das instituições, mas não queremos nos mudar, porque já nos aclimatamos ao que somos, mesmo que isso não seja o que realmente desejo; porém a preguiça, o comodismo, o medo e dificuldade de raciocínio nos leva a ficarmos emperrados, como se fôssemos um de uma nota só.

Nessa Transição Planetária que estamos realizando, mudanças tem um papel preponderante; fazem parte do plano que Deus preparou para nós, e é exatamente nesse período de grandes transformações no Planeta, na sociedade, nas artes, na ciência, na religiosidade, na política, e principalmente nos corações humanos.

Compartilhar
Topo
Ainda não tem conta? Cadastre-se AGORA!

Entre na sua conta